Publicidade

Publicidade

13/02/2010 - 15:06

Como montar seu próprio iPad

Compartilhe: Twitter

Mais recente lançamento da Apple, o iPad vem dividindo opiniões de fãs da marca. Alguns acreditam que Steve Jobs, presidente da Apple, revolucionou de novo; outros acham que o iPad é simplesmente caro demais para o que oferece.

Se você faz parte do segundo grupo (e não pretende comprar esse novo eletrônico tão cedo), pode se juntar ao pessoal do Cubeecraft. Eles fazem versões para imprimir, recortar e colar de vários objetos e personagens. O iPad foi o mais recente homenageado:

CUbeecraft_iPad_by_cubeecraft

carlPronto, agora que você já tem um iPad genérico, que tal dar uma olhada nos personagens de filmes e desenhos que o Cubeecraft transformou em bonequinhos de papel? Um dos que tem feito mais sucesso é o de Carl Fredricksen, o ranzinza velhinho da animação “Up! — Altas Aventuras”, que está concorrendos aos Oscars de Melhor Filme e Melhor Animação.

carl-fredricksen

No site, os paper toys — como são chamados os personagens de papel — estão divididos em categorias: Cultura Pop, Celebridades, Consoles, entre outras. Os homenageados vão desde personagens do game e filme “Resident Evil”, passando por vários X-Men, até jogos como o Playstation e o Game Boy. Tudo de papel.

Autor: - Categoria(s): Sites curiosos Tags: , , , , , , ,
23/02/2009 - 01:54

As chatices da entrega do Oscar

Compartilhe: Twitter

Estou escrevendo agora para provar que fiquei assistindo à cerimônia do Oscar na TNT até o final. Bem, preciso confessar que pensei em desistir várias vezes. Que chatice! Nada contra a cerimônia em si, que até gostei. Por exemplo: a homenagem aos musicais, com Beyoncé, Hugh Jackman, Zac Efron e Vanessa Hudgens, foi bem bacana – e já estava postada no You Tube menos de uma hora depois (com uma qualidade ruim, é verdade)

Também me emocionei com Jerry Lewis, um dos meus comediantes preferidos, e com o prêmio póstumo a Heath Ledger.  A apresentação dos prêmios de roteiro original e roteiro adaptado foi bastante criativa (Steve Martin, divertidíssimo!).  As apresentações dos prêmios para ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante feitas por cinco consagrados atores foram bem tocantes. Uma ideia que deve ser repetida.

Então, por que, eu escrevi que a cerimônia foi uma chatice? A quantidade de intervalos comerciais foi um abuso. Comecei a ficar com ódio (sim, esta é a palavra) dos comerciais da Volkswagen e da Havaianas. Será que o sujeito da agência não pensa que o mesmo comercial repetido 500 vezes irrita qualquer um? A partir da meia noite, nos intervalos, trocava de canal. Até os bastidores do Carnaval na Bahia, apresentados pela Carla Perez, eram melhores do que aquela tortura.

Os discursos de agradecimento deveriam mesmo ser mais curtos. Por que todos precisam agradecer a Academia? Isso já economizaria uns 15 minutos das três horas e meia (tempo suficiente para ver dois longas…) Ah, a tradução simultânea parece ser um problema insolúvel. Resolvi apertar a tecla SAP. Afinal, os trocadilhos que eu não entendia, os apresentadores também não entendiam. Então, dava na mesma.

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Cinema Tags: , , , , , , ,
22/02/2009 - 13:01

A história dos símbolos dos estúdios de Hollywood

Compartilhe: Twitter

Hoje é noite de entrega do Oscar.  Como amanhã é feriado, vou poder assistir à cerimônia inteira. Das outras vezes, tendo que trabalhar no dia seguinte, só conseguia ver aquelas primeiras categorias que não rendem assunto. Aproveito a ocasião para contar a história dos símbolos dos grandes estúdios de Hollywood.

DreamWorks

A DreamWorks surgiu em 1994, criada por Steven Spielberg, Jeffrey Katzenberg e David Geffen.  Inicialmente, Spielberg pensou na imagem de um homem adulto pescando na Lua – uma imagem arrojada, gerada por computação gráfica. No entanto, um funcionário de Spielberg sugeriu um logotipo pintado à mão e recomendou o amigo Robert Hunt para fazer o trabalho.

Robert não só pintou o logo alternativo como usou a silhueta de seu filho, William. E é ele que pode ser visto nas telonas, pescando na lua.

Aliás, a sigla “SKG” – localizada abaixo do nome “DreamWorks” – é formada pelas iniciais dos fundadores da companhia – Spielberg, Katzenbgerg e Geffen.

MGM

Quem é o leão que aparece rugindo antes dos filmes da Metro-Goldwyn-Mayer?

O nome dele é “Leo” e foi interpretado por 5 leões desde a sua estréia, em 1924. O primeiro se chamava Slats – e não rugia. Slats fez a abertura dos filmes da MGM na época do cinema mudo, entre 1924 e 1928.

O primeiro rugido foi dado por Jackie, em 1928. Apesar de os filmes ainda não possuírem som, um funcionário do cinema ficava responsável por tocar a gravação do rugido assim que o logo aparecesse na tela. Tanner foi o terceiro leão, sucedido por um animal anônimo.

Desde 1957, é a imagem de um leão batizado de Leo que aparece nas aberturas da MGM. O leão aparece rugindo dentro de um arco, onde pode ser lida a inscrição em latim “Ars Gratia Artis” (“A arte pela arte”).

20th Century Fox

O desenho do nome das duas companhias – a 20th Century e a Fox – cercado por holofotes foi criado pelo artista Emil Kosa Jr. Além de criar o logotipo, Emil fez o desenho da Estátua da Liberdade em ruínas que aparece no final do filme (ops!) “Planeta dos Macacos”(1968). O artista também ganhou o Oscar de Efeitos Especiais pela superprodução “Cleópatra” (1964).

A saber: a trilha sonora tocada junto com o logotipo foi composta por Alfred Newman, diretor
musical da United Artists na época.

Paramount

A montanha da Paramount é o logo mais antigo ainda mostrado nas telas de cinema. A  “Montanha
Majestosa” existe desde 1914 e foi esboçada por W.W. Hodkinson, presidente e membro fundador da
Paramount Pictures.

A montanha original foi inspirada pela montanha de Ben Lomond, localizada no estado de Utah.

Mais tarde, a arte original foi substituída por outro desenho, inspirado pelo pico Artesonraju, localizado na Cordilheira dos Andes, no Peru.

O logotipo original era cercado por 24 estrelas – simbolizando as 24 estrelas de cinema contratadas pela companhia na época. O número depois foi reduzido para 22 estrelas.

Warner Bros.

A Warner Bros. foi criada em 1923 por quatro irmãos, imigrantes judeus da Polônia, determinados a
fazer fortuna na América. O logotipo original mostrava um escudo com as iniciais “WB” (“Warner
Brothers” ou “Irmãos Warner”) abaixo de uma foto do estúdio na época.

A foto foi removida e as iniciais “WB” ganharam mais espaço dentro do escudo nos anos 30. Quando os
filmes tornaram-se coloridos, o logotipo foi pintado com um tom de sépia. O escudo foi modificado diversas vezes e a versão atualmente exibida é a 11ª.

Columbia Pictures

“Columbia” é um neologismo inglês, originado do nome do descobridor da América Cristóvão Colombo e é um conhecido símbolo feminino dos Estados Unidos da América.

Criada em 1924, a musa inspiradora  da primeira “Dama da Columbia” é desconhecida – na arte original, ela aparecia com uma bandeira dos EUA , substituída em 1949 por um manto neutro.

A atriz Jane Bartholomew declarou que seu rosto serviu de inspiração para a imagem. Outra queclamou o posto foi a atriz Amelia Bacheler. Nas décadas de 70 e 80, a “Dama da Colúmbia” foi substituída por uma versão estilizada e minimalista.


A imagem atual foi redesenhada em 1993 por Michael J. Deas. A modelo de Deas foi a dona-de-casa Jenny
Joseph, cujo rosto foi redesenhado por meio de computação gráfica.

02 Filmes

Aqui no Brasil, a 02 Filmes – fundada por Fernando Meirelles, Paulo Morelli e Andrea Barata Ribeiro -,   responsável por produções como “Cidade de Deus”(2002) e “Contra Todos”(2004) – teve seu logotipo criado pelo designer gráfico Cássio Leitão.

Cássio Leitão criou o logotipo em 1991, a partir dos significados nome da produtora: “02” tanto pode significar “Oxigênio” quanto “Olhar 2”, uma alusão a antiga produtora de televisão “Olhar Eletrônico”, fundada por Meirelles e Paulo Morelli nos anos 80.

De acordo com o pessoal da 02, a escolha do logotipo atual também passou pela idéia de otimismo que ela passa, ao associar o nome com uma imagem de uma pessoa sorrindo.

Autor: - Categoria(s): Cinema Tags: , , , , , , , , , ,
18/02/2009 - 15:45

Os ganhadores do Oscar também erram

Compartilhe: Twitter

Mesmo arrasa-quarteirões e grandes clássicos ganhadores do Oscar não conseguem escapar dos erros. Já que estamos na semana da entrega do famoso prêmio de Hollywood, veja algumas das grandes gafes do cinema:

Vencedor do Oscar de “Melhor Filme” em 1943, “Casablanca” pisa na bola logo no começo do filme. Nas cenas iniciais, o avião que pousa na pista é claramente de brinquedo.

Representante brasileiro na cerimônia do Oscar de 1999, “Central do Brasil” também teve sua cota de erros de continuidade. Na cena em que Dora (Fernanda Montenegro) compra um aparelho de TV novo, ela fica com o controle remoto na mão e reclama para a amiga Irene (Marília Pêra) que a geringonça não está funcionando. Depois que Irene vai embora, Dora aparece segurando outro controle remoto, mais fino que o anterior. Apesar da trapalhada, Fernanda Montenegro foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz em 1999.

Premiado pela Academia em 1994, “Forrest Gump” é pródigo em histórias e erros!  Quando os meninos perseguem o jovem Forrest (Tom Hanks), o short dele muda de cor três vezes: marrom, quando está perto de casa; azul, quando corre perto dos prisioneiros; e dourado, quando está na casa de Jenny (Robin Wright Penn).

Essa é para quem já viu o final do filme. Quando Forrest conversa com a sepultura de Jenny, ele fala “Você morreu em um sábado pela manhã”. O problema é que o dia 22 de março de 1982, a data gravada na sepultura, caiu em uma segunda-feira.

“Uma Mente Brilhante” levou o Oscar de “Melhor Filme” em 2002, mas a produção do filme parecia mais atrapalhada que o matemático esquizofrênico John Nash (Russel Crowe). Há confusões com a idade do filho de Nash, Alicia (Jennifer Connelly) usa modelos de tupperware que ainda não tinham sido fabricadas e até mesmo a cerimônia do Prêmio Nobel é furada.

O supercampeão “Titanic”, de James Cameron, colecionou 11 estatuetas das catorze indicações da Academia em 1998 e também muitas trapalhadas:

– O tamanho das unhas de Rose (Kate Winslet) muda várias vezes ao longo do filme.

-Quando o operador de rádio manda uma mensagem de S.O.S., o padrão de traços que ele envia não significa absolutamente nada em código morse.

– Quando morre, o corpo de Jack (Leonardo DiCaprio) congela e afunda. No entanto, corpos humanos congelados flutuam.

– A cena em que Rose se despe para Jack deveria ter sido menos romântica: a personagem precisaria de ajuda de outra pessoa para tirar (e depois para recolocar) o espartilho.

– É improvável que os passageiros do Titanic tivessem visto golfinhos. Os animais são encontrados apenas em águas quentes e a viagem do navio aconteceu logo depois do fim do inverno.

– As obras-primas da coleção de Rose não estavam a bordo do Titanic (ainda bem!).

Se você é daqueles que adora encontrar erros e falhas nos filmes de Hollywood, vai encontrar material de sobra no livro “Falha Nossa”, de Cesar Kos.

Autor: - Categoria(s): Cinema Tags: , , , , , , , , ,
13/02/2009 - 15:45

Músicas para fazer striptease

Compartilhe: Twitter

,

Diablo Cody ficou famosa por ter recebido um Oscar pelo roteiro original de “Juno”, em 2008. Antes conquistar Hollywood, porém, Diablo Cody podia ser encontrada em bares de striptease em Minneapolis, nos Estados Unidos.

Diablo Cody, cujo nome verdadeiro é Brook Busey, tem até uma lista de suas músicas favoritas para tirar a roupa: “Remix to Ignition” (R.Kelly), “Purple Rain” (Prince), “Honk Tonk Woman” (Rolling Stones), “Pour Some Sugar on Me” (Def  Leppard) e “Amber” (311).

Outro clássico para esse momento de sensualidade é a música “You Can Leave Your Hat On”, de Joe Cocker, do filme “9 1/2 Semanas de Amor”. Vamos dar uma espiadinha?

 

 

Para quem se interessa pelo assunto, eu recomendo o livro “Sexo para Mulheres Casadas”, da personal sex trainer Fatimah Moura, que dá o passo-a-passo para toda a operação. Mas o achado mais curioso é um CD inteirinho dedicado à arte de se desnudar.  O álbum “Strip Tease Classics” traz excelentes sugestões de músicas.

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Sexo Tags: , , , , , , , , , ,
03/11/2008 - 11:54

Jornal do Meu Aniversário

Compartilhe: Twitter

De presente de aniversário, sexta passada, ganhei um exemplar de um jornal português com a notícia do meu nascimento. É uma brincadeira que pode ser comprada pela internet. O aniversariante recebe uma página de jornal no formato PDF e pode fazer quantas cópias quiser. O “Jornal do Aniversário” traz outros fatos que aconteceram na data e do ano do seu nascimento. Em 1964, por exemplo, os Beatles estouravam nas paradas com “A Hard Day’s Night”. Dom Duarte, rei de Portugal, nasceu em 31 de outubro de 1391. Parente? O Benfica sagrou-se campeão português de futebol naquele ano. Ah, o horóscopo diz que o escorpiano é um sujeito… curioso. Sério mesmo?
Só achei um errinho. No quadro sobre a entrega do Oscar de 1964, há a expressão “And The Oscar Goes To…” (E o Oscar vai para). Em 1964, ainda se dizia “The Winner Is…” (O vencedor é). A nova frase só foi criada em 1989. Dessa maneira não se dava a entender que os outros eram perdedores.

Entre no site e veja uma página demonstrativa da sua. Aí vai o link: www.jornaldoaniversario.com

Autor: - Categoria(s): Baú, Datas Comemorativas, Sem categoria Tags: , ,
Voltar ao topo