Publicidade

Publicidade

09/10/2009 - 10:27

Um olho na bola e o outro na gata

Compartilhe: Twitter

A primeira Copa Libertadores de Futebol Feminino está sendo disputada  nas cidades de Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo. O Santos é o representante brasileiro e trouxe Marta, a melhor do mundo, para reforçar a equipe. Deve conquistar o título sem maiores problemas.  São eventos assim que atraem cada vez mais a atenção do público.

O público também passou a se interessar mais pelo esporte por causa de suas musas. Em março de 2008, por exemplo, a atacante do Internacional Laisa Andrioli agraciou os leitores da “Sexy” com um ensaio de capa (foto à direita).  A edição deste mês da edição brasileira da revista esportiva “FourFourTwo” traz uma boa entrevista com Laisa (foto à esquerda).

laisa31

Para não dizer que são só os torcedores brasileiros que, às vezes, se esquecem do futebol das meninas, vale lembrar o caso da alemã Eva Roob. Eva não foi uma jogadora brilhante  atuando pelo Nuremberg F.C. no Campeonato Alemão. Talvez por isso tenha pendurado as chuteiras para assumir a personalidade de Samira Summer. Ela decidiu se tornar atriz pornô. Sua estreia aconteceu no filme “Sweet Cheeks 10”.

evaroob

bel-cenira

O primeiro exemplo de jogadora a usar os dotes físicos para além do futebol é Isabel Cristina Nunes, a Bel. Ela posou na capa da “Playboy” em julho de 1995. Alguns meses antes, em janeiro, Bel havia sido campeã sul-americana pelo Brasil. Na foto ao lado, ela aparece com a camisa 21, ao lado da zagueira Cenira.

A gaúcha começou a carreira em 1983, no Pepsi Bola — time patrocinado pela marca de refrigerantes. Um ano depois, apareceu pela primeira vez na “Playboy”, de roupa, mas em poses sensuais. Como jogadora, passou ainda pelo Internacional e pelo Torino, da Itália.

cleoJá a loira Cléo Brandão é mais conhecida pela passagem que teve como apresentadora na Rede Bandirantes. Ela esteve à frente de programas esportivos como “Band Esporte” e “Esporte Total”. Antes disso, em 1997, ela jogou no time feminino do São Paulo.

Assim como Bel, Cléo posou nua para a “Playboy”. A edição foi lançada em maio de 1999, quando ela não entrava mais em campo. Confira abaixo as capas de Bel e de Cléo Brandão.

bel

E, já que estamos no meio futebolístico, não podemos  esquecer da “Playboy” mais polêmica relacionada ao tema. A bandeirinha Ana Paula Oliveira saiu nua na edição de julho de 2007 e deu muito o que falar.

anapaula

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
14/08/2009 - 11:04

As jornalistas esportivas mais bonitas do mundo

Compartilhe: Twitter

A revista norte-americana “FHM” é famosa pelas listas que produz. Elas vão desde “Os 50 videoclipes mais excitantes” até “Os 10 melhores discursos de filmes”. A última da revista foi uma lista com as cinco (só?) jornalistas esportivas mais belas do mundo. Apesar de nenhuma brasileira ter sido lembrada, vale a pena conferir as escolhidas.

Inez Sainz, repórter de campo da “TV Azteca”, do México, foi a quinta colocada. A ex-Miss Espanha (1997) é especialista na cobertura de futebol, o esporte favorito dos mexicanos. Entre os brasileiros, diz ela, seu jogador preferido é Robinho.

Logo em seguida aparece a inglesa Georgie Thompson, apresentadora do “Sky Sports News”. Ela também participa da transmissão de corridas automobilísticas. Uma das marcas registradas da loira é sua voz suave, que você pode conferir no vídeo abaixo.

Eleita a mais bela repórter do mundo em 2006, pelo “The Daily Express”, a francesa Melissa Theuriau aparece em terceiro na lista da “FHM”. Na verdade, ela não é apenas jornalista esportiva. Trabalha como âncora no canal “M6”. A moça já apareceu em fotos fazendo topless, e fica bonita até mesmo noticiando um desastre.

Repórter de campo da “ESPN” norte-americana, Erin Andrews ficou com o segundo lugar. Em julho deste ano, um vídeo apareceu na internet com a beldade nua. Ele havia sido gravado pelo buraco da fechadura do hotel em que Erin estava hospedada. Rapidamente os advogados da “ESPN” agiram para que a gravação sumisse da rede. No vídeo, que tem pouco menos de 5 minutos, ela aparece penteando o cabelo e trocando de roupa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E a grande vencedora é: Sara Carbonero, apresentadora do programa esportivo “La Sexta”, da Espanha. Sara é um dos grandes nomes da imprensa futebolística espanhola. Durante a Copa das Confederações deste ano, ela foi a única a conseguir uma entrevista com o disputado David Villa, jogador do Valencia e da Seleção da Espanha. Um furo de reportagem!

No Brasil, é preciso que os editores da “FHM” saibam, não ficamos para trás. Só para lembrar uma forte candidata:  Renata Fan, ex-Miss Brasil (1999),  apresenta o “Jogo Aberto” na Band. E, melhor, entende de futebol! Quem mais você colocaria nesta lista? 

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, Listas, Sexo, Televisão Tags: , , , , , , , , ,
18/06/2009 - 19:22

Quem disse que mulheres não gostam de mapas?

Compartilhe: Twitter

Existe um livro chamado “Por que é que os Homens Nunca Ouvem Nada e as Mulheres Não Sabem Ler os Mapas de Estradas”, de Alan e Barbara Pease, lançado no Brasil, em 2000.  Você acha que as mulheres não gostam de mapas?

Talvez os produtos da empresa Mapbags ajudem as mulheres a mudar um pouquinho de comportamento. Com sede em Hong Kong, a empresa de fabrica bolsas estampadas com mapas de 53 grandes cidades ao redor do mundo:

Por enquanto, não há nenhuma cidade do Brasil contemplada com um modelinho como este de Paris.

Autor: - Categoria(s): Cotidiano, Sites curiosos Tags: , , , , , ,
02/06/2009 - 15:08

A versão feminina do Batman e Robin

Compartilhe: Twitter

Uma dupla de heróis, com identidade secretas, cuja missão é defender a humanidade e  impedir gênios do crime. Quantas vezes você já ouviu essa história antes? Pois é. Então, lá vai mais uma. Criada em 1976, a série de televisão “Electra Woman e Dyna Girl” era uma espécie de versão feminina (e feminista) do clássico “Batman e Robin”.

Electra Woman (Deidre Hall) era a heroína mais velha, enquanto que Dyna Girl (Judy Strangis) fazia as vezes de atrapalhada assistente. A identidade secreta das duas era assegurada por um emprego de fachada em uma revista.

Intérprete de Electra Woman durante os 16 episódios da série, a atriz Deidre Hall tinha uma irmã gêmea, Andrea. É ela quem aparece em “The Spider Lady”, episódio em que a vilã Spider Lady assume a forma da heroína.

A personagem Dyna Girl até mesmo tinha a mania de adicionar “electra” em várias expressões – igualzinho ao “Santa confusão, Batman!”, frase clássica de Robin.

Para completar o clima feminista, a música de abertura de “Electra Woman e Dyna Girl” era cantada por Cindy Lauper, dona do hit “Girls Just Wanna Have Fun”.

Autor: - Categoria(s): Baú, Televisão Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo