Publicidade

Publicidade

09/12/2009 - 14:25

Línguas mortas e ameaçadas de extinção

Compartilhe: Twitter

A cantora brasileira Tetê Espíndola e o compositor francês Phillipe Kasosch lançaram o CD “BabelEyes – Música das Línguas Virgens”, recheado de músicas cantadas em línguas mortas ou em processo de extinção.

Uma das músicas do disco – “Sadis Magicus” – é cantada em latim. Grande idioma do império romano, o latim era composto por 4 mil palavras e seu alfabeto, 23 letras. A língua foi desaparecendo com a queda do poderio militar de Roma. Hoje em dia, ela só é usada dentro da Igreja Católica e no vocabulário científico. Entretanto, o latim deu origem a línguas como o português, francês, espanhol, italiano, romeno, galego e catalão.

O Kama Sutra foi escrito originalmente em sânscrito, uma língua indiana praticamente extinta. O tupi foi língua mais falada no Brasil até o século 18 , quando o Marquês de Pombal proibiu seu ensino em todo o território nacional. Outros idiomas como o corso (falado na ilha de Córsega), torneladiano (variante do finlandês falado na Suécia) e o bretão (usado pelos antigos celtas) também correm o risco de desaparecer.

Mais sobre línguas mortas – e sobre uma bem viva! – você encontra aqui.

Autor: - Categoria(s): livros Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo