Publicidade

Publicidade

20/08/2009 - 23:34

Times de futebol com nome de gente

Compartilhe: Twitter

Sabia que o Corinthians quase foi batizado com nome de gente? Na reunião de criação do time, as opções de nome eram Santos Dumont, o inventor do avião, e Carlos Gomes, o compositor. Nenhum dos dois agradou e, durante a votação, o Corinthians passou a se chamar Corinthians. Bem, mas se você procurar, vai encontrar outros times  batizados com nome de gente.

O Robin Hood F.C., do Suriname, não podia roubar dos ricos para dar aos pobres. Isso porque em 1945, ano de fundação do clube, os jogadores ainda entravam em campo descalços, por falta de dinheiro. Robin Hood existiu ou não?  Não se sabe. O chamado “Príncipe dos Ladrões” teria sido uma espécie de herói inglês do século XIII, nos tempos do rei Ricardo Coração de Leão. Já a Association Culturelle Jeanne D’Arc, fundada em 1921 no Senegal, pegou o nome emprestado de um personagem revolucionário. O país africano foi colonizado principalmente por franceses, o que talvez tenha influenciado na escolha do nome de Joana D’Arc, heroína da Guerra dos Cem Anos, entre França e Inglaterra.

Bernardo O’Higgins, um dos “libertadores da América”, dá nome a uma equipe do país que ajudou a libertar, o Chile. O Club de Deportes O’Higgins de Rancagua foi fundado em 7 de abril de 1955, mas não é tão vitorioso quanto o seu homenageado. Durante toda sua existência, nunca levantou uma taça de campeão.

Ainda na América do Sul, o nome do  Club Presidente Hayes, do Paraguai,  foi inspirado no político e presidente dos Estados Unidos Rutherford Hayes (foto ao lado), que foi mediador de uma briga diplomática entre paraguaios e argentinos. Veja se consegue  adivinhar a favor de quem ele decidiu a pendenga… Uma coincidência interessante é que o maior craque da história do time foi o zagueiro Kiko Reyes, quase um homônimo do presidente que dá nome ao time.

Em Portugal, o escolhido para dar nome a um time de futebol foi o escritor Gil Vicente, autor de “Auto da Barca do Inferno”, entre outras obras. O Gil Vicente Futebol Clube foi fundado em 3 de maio de 1924, em Barcelos — mesma cidade em que  Gil Vicente nasceu, 459 anos antes. Apesar do nome imponente, a melhor colocação do time no Campeonato Português foi um quinto lugar, na temporada 1999/2000.

De Cochabamba, na Bolívia, vem o Club Jorge Wilstermann. O nome é o mesmo do primeiro piloto de aviões comerciais do país, que nasceu na cidade onde o time foi fundado. Ele morreu em um acidente aéreo anos antes da fundação da equipe, que aconteceu em 24 de novembro de 1949. O aeroporto internacional da cidade de Cochabamba também leva o nome de Wilstermann. O escudo do time tem uma asa de cada lado. A estreia de Galvão Bueno como narrador esportivo na TV aconteceu em um jogo do Jorge Wilstermann. O time boliviano jogou duas vezes contra o Flamengo pela segunda fase da Libertadores de 1981, uma em 13 de outubro e a outra no dia 30 do mesmo mês.

E os times brasileiros? O mais curioso de todos é a Associação Desportiva Perilima, de Campina Grande (PB), que teve o nome inspirado nas sílabas iniciais do nome de uma pessoa: Pedro Ribeiro Lima. Nunca ouviu falar?  Pedro Ribeiro Lima é presidente do próprio Perilima.

Quem é que me ajuda a lembrar de outros?

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , , , , , , , , , , , , ,
14/08/2009 - 11:04

As jornalistas esportivas mais bonitas do mundo

Compartilhe: Twitter

A revista norte-americana “FHM” é famosa pelas listas que produz. Elas vão desde “Os 50 videoclipes mais excitantes” até “Os 10 melhores discursos de filmes”. A última da revista foi uma lista com as cinco (só?) jornalistas esportivas mais belas do mundo. Apesar de nenhuma brasileira ter sido lembrada, vale a pena conferir as escolhidas.

Inez Sainz, repórter de campo da “TV Azteca”, do México, foi a quinta colocada. A ex-Miss Espanha (1997) é especialista na cobertura de futebol, o esporte favorito dos mexicanos. Entre os brasileiros, diz ela, seu jogador preferido é Robinho.

Logo em seguida aparece a inglesa Georgie Thompson, apresentadora do “Sky Sports News”. Ela também participa da transmissão de corridas automobilísticas. Uma das marcas registradas da loira é sua voz suave, que você pode conferir no vídeo abaixo.

Eleita a mais bela repórter do mundo em 2006, pelo “The Daily Express”, a francesa Melissa Theuriau aparece em terceiro na lista da “FHM”. Na verdade, ela não é apenas jornalista esportiva. Trabalha como âncora no canal “M6”. A moça já apareceu em fotos fazendo topless, e fica bonita até mesmo noticiando um desastre.

Repórter de campo da “ESPN” norte-americana, Erin Andrews ficou com o segundo lugar. Em julho deste ano, um vídeo apareceu na internet com a beldade nua. Ele havia sido gravado pelo buraco da fechadura do hotel em que Erin estava hospedada. Rapidamente os advogados da “ESPN” agiram para que a gravação sumisse da rede. No vídeo, que tem pouco menos de 5 minutos, ela aparece penteando o cabelo e trocando de roupa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E a grande vencedora é: Sara Carbonero, apresentadora do programa esportivo “La Sexta”, da Espanha. Sara é um dos grandes nomes da imprensa futebolística espanhola. Durante a Copa das Confederações deste ano, ela foi a única a conseguir uma entrevista com o disputado David Villa, jogador do Valencia e da Seleção da Espanha. Um furo de reportagem!

No Brasil, é preciso que os editores da “FHM” saibam, não ficamos para trás. Só para lembrar uma forte candidata:  Renata Fan, ex-Miss Brasil (1999),  apresenta o “Jogo Aberto” na Band. E, melhor, entende de futebol! Quem mais você colocaria nesta lista? 

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, Listas, Sexo, Televisão Tags: , , , , , , , , ,
03/08/2009 - 13:16

A história das camisas dos 12 maiores times

Compartilhe: Twitter

Você sabia que praticamente todos os chamados times grandes do Brasil já jogaram com um uniforme diferente do tradicional? O exemplo mais recente é a camisa roxa que o Corinthians lançou no ano passado. Agora o Palmeiras anuncia que seu terceiro uniforme para 2009 será azul.

No livro “A História das Camisas dos 12 Maiores Times do Brasil”, que será lançado hoje, na Livraria Cultura, do Shopping Market Place, em São Paulo, os autores Paulo Gini e Rodolfo Rodrigues trazem os 2.000 modelos diferentes que os clubes usaram desde que foram fundados. Eles mostram também as trocas de patrocinadores e de fornecedores de material. Nenhum detalhe foi esquecido.

Em 2000, o Atlético Mineiro reeditou pela primeira vez em 60 anos uma camisa totalmente preta. Ela foi feita para ser usada nos jogos internacionais da Libertadores. O sucesso entre os torcedores foi tanto que até hoje o Galo tem uma camisa totalmente preta.

Jogando contra o time do Engenho de Dentro, em 7 de maio de 1933, o Botafogo usou uma camisa vermelha com a gola branca. Isso aconteceu porque o time adversário usava um uniforme listrado azul e branco, que poderia ser confundido com a vestimenta tradicional do Fogão. Em outras três ocasiões, pelo mesmo motivo, o Botafogo foi obrigado a usar camisas de cores diferentes: em 1923, uma verde, emprestada pelo time do Andaraí; em 1968, uma azul emprestada pela Adeg, administradora do Maracanã; e em 1975, de amarelo, camisa emprestada pelo time da Suderj.

Para homenagear o Torino, da Itália, que havia acabado de perder todos os jogadores e comissão técnica em um acidente aéreo, o Corinthians vestiu a camisa do clube. Foi contra a Portuguesa, no Pacaembu, no dia 8 de maio de 1949.

Feita especialmente para a Libertadores de 2004, a camisa azul-celeste do Cruzeiro faz parte da primeira geração de camisas com uma coroa acima do escudo do clube. A chamada tríplice coroa faz referência à temporada de 2003, em que o Cruzeiro foi campeão mineiro, da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro.

Ano passado, depois de uma briga judicial com a fornecedora de materiais esportivos, o Flamengo fez suspense e entrou em campo no Campeonato Brasileiro usando uma camisa com três interrogações no lugar da logomarca. Derrotado na Justiça, o time voltou a usar a camisa anterior poucas partidas depois.

A camisa laranja do Fluminense foi lançada no centenário da equipe, em 2002, e não agradou os torcedores. O Tricolor usou a camisa apenas no segundo tempo de um amistoso. Atualmente, uma das camisas de treino do Flu é dessa cor.

E o Grêmio, que, acredite, já jogou de vermelho? Na verdade, a cor era o havana, um parente  do vermelho. Foi a primeira camisa do time, em 1903. Depois, o havana foi substituído pelo preto porque os tecidos eram caros demais, e até raros. Em compensação, em 1987, a Coca-Cola  teve que colocar sua logomarca em preto na camisa do Grêmio, e não no tradicional vermelho, cor do maior rival. Foi a primeira vez que isso aconteceu.

A exemplo dos argentinos do River Plate, o Internacional já jogou de branco com uma faixa diagonal vermelha. Durante boa parte da década de 1950, uma das camisas do time tinha essa composição. Em 1995, o segundo uniforme também era assim.

Na final do Paulistão de 1954, que aconteceu em fevereiro do ano seguinte, o Palmeiras enfrentou seu maior rival, o Corinthians, usando uma camisa azul. A escolha teria acontecido por conselho de um pai-de-santo — que errou o prognóstico. O empate de 1 x 1 deu o título ao Corinthians.

“Paz” foi a primeira inscrição que apareceu na frente da camisa do Santos. A palavra não era parte de um patrocínio, foi escrita em apoio a uma campanha que acontecia na cidade de São Paulo em 1983. Um patrocínio curioso que apareceu na camisa do Santos foi o do Lenços de Papel Kleenex, em 1986.

O marketing esportivo ainda estava engatinhando em 1997. Talvez por isso a camisa do São Paulo, que tinha escrito “Bom…???”, tenha causado tanta surpresa. Ela foi usada em apenas um jogo, contra o Cruzeiro, e deu sorte: 5 x 0, cinco gols de Dodô. A brincadeira serviu para anunciar o futuro patrocinador do time: a esponja de aço Bombril.

Muitos clubes não tiveram a chance de homenagear seus maiores ídolos enquanto eles ainda estavam jogando. Não foi o caso do Vasco, que entrou em campo no dia 24 de março de 1983 com a frase “Valeu Roberto!” estampada na camisa. Até Zico, maior jogador da história do Flamengo, atuou no onze cruz-maltino naquela partida contra o La Coruña, da Espanha. Mesmo assim, os europeus venceram por 2 x 0.

O lançamento do livro será hoje, a partir da 19h, na Livraria Cultura, do Shopping Market Place, que fica na avenida Chucri Zaidan, 902, em São Paulo. Além de autografar os livros, os autores — que colecionam camisas de futebol — levarão algumas raridades que poderão ser conferidas para ficarem expostas.

Autor: - Categoria(s): Esporte, livros Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
09/03/2009 - 16:40

Os gordinhos do futebol

Compartilhe: Twitter

O assunto de hoje foi o gol de Ronaldo Fenômeno contra o Palmeiras. Não se fala de outra coisa. Ninguém nem mais se lembra do Pop’s Drinks! Os jornais dos principais centros futebolísticos do mundo exultaram o gol no último minuto da partida. Só os argentinos, com dor de cotovelo, preferiram tirar um sarro. Escreveram que o “Gordito” acabou derrubando o alambrado do Prudentão na hora da comemoração por causa do excesso de peso.

Sim, nas entrevistas que deu depois da partida, Ronaldo admitiu que tem ainda muitas calorias para queimar – para acabar com essas piadas. Por exemplo: o The Sun adora fazer listas. Há um ano, o jornal inglês publicou uma lista dos 10 jogadores mais gordos da história do futebol. Ou com sobrepeso.

Os cinco primeiros colocados foram:

O húngaro Ferenc Puskas chegou a jogar com 18 quilos acima de seu peso ideal.

Jan Molby, jogador dinamarquês que atuou no Liverpool.

O inglês Micky Quinn, ex-jogador do Newcastle, Coventry e Portsmouth, chegou a ser apelidado de “Sumô” por causa do peso.

O impressionante William “Fatty” (“Gordinho”) Foulke foi goleiro do Sheffield United, do Chelsea e do Bradford City, da Inglaterra, de 1894 a 1907. Tinha estimados 1,93 metro e chegou a pesar 150 quilos.

Ronaldo ficou em primeiro lugar na lista. De acordo com o tabloide, o brasileiro mereceu o prêmio máximo pelos “feitos alcançados mesmo com seu corpo acima do peso”.

O The Sun publicou também listas com os 10 jogadores mais feios do futebol atual (nosso representante é Ronaldinho Gaúcho, em quarto lugar), os 10 uniformes mais feios e também as 10 mulheres de jogadores mais belas.

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , , , , ,
14/01/2009 - 15:15

Elas batem um bolão

Compartilhe: Twitter

Criado em setembro de 2007, o blog português “Mulheres da Bola” traz fotos de 49 beldades casadas com jogadores de futebol que atuam na Europa. Beldades mesmo! O blog faz questão de mostrar só mulheres mais bonitas. Nada de textos, só fotos. Victoria Beckham continua sendo uma figurinha fácil. Há uma porção de fotos delas. Aí vai uma delas:

Mas, convenhamos, ninguém entra num blog assim para ver Victoria Beckham, né? Por isso, o Blog do Curioso faz a sua parte e dá uma prévia de outras delas (todas as fotos são do blog português).

Esta é Valentina, mulher do lateral Zambrota, do Milan.

Veronique, senhora Zinedine Zidane.

Noemie Lenoir, mulher de Makelele, atualmente no Paris Saint-Germain.

Alex Curran é casada com Steve Gerrard, ídolo no Liverpool.

Abigail Clancy e Peter Crouch, do Portsmouth e da Seleção Inglesa.

Entre os brasileiros, o site traz fotos de Kaká, astro do Milan (a notícia de hoje é que ele estã de mudança para o Manchester City), e a sua Caroline.

Susana Werner, casada com o goleiro Julio César, da Seleção e da Inter de Milão, merecia uma foto melhor, não acha?

Então, terminamos com Aleana Seredova, modelo e miss República Tcheca 1998. Ela é mulher do goleiro Buffon, da Juventus. Agora a gente entende por que jogador de futebol detesta tanto concentração…

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Esporte Tags: , , ,
27/12/2008 - 08:49

O meu Mundial Interclubes seria assim

Compartilhe: Twitter

Em sua coluna na Folha de S. Paulo, quinta-feira passada, o jornalista Rodrigo Bueno fez duas propostas para a fórmula do Campeonato Mundial Interclubes. Em uma delas, ele propõe um campeonato nos moldes da Copa do Mundo: 32 clubes, mas a cada quatro anos. Em outra, propõe um torneio disputado por todos os campeões mundiais. No final das contas, porém, Rodrigo admite que gosta do torneio do jeito que está. Dias desses, também pensei num novo formato para o Mundial Interclubes, com um nível técnico um pouco melhor. O meu Mundial Interclubes seria assim:

Na primeira fase:  Campeão da Oceania x Campeão da África (Jogo A) e Campeão da Ásia x Campeão da Concacaf (Jogo B). Eu eliminaria a classificação automática do time da casa para evitar o que aconteceu este ano, com dois times da Oceania na disputa.

Segunda fase: Ganhador do Jogo A x Vice-campeão europeu (Jogo C) e Ganhador do Jogo B x vice-campeão da Libertadores (Jogo D).

Terceira fase: Ganhador do Jogo C x campeão da Libertadores (Jogo E) e Ganhador do Jogo D x campeão europeu. Oa dois ganhadores disputariam a final. Em vez de apenas um jogo empolgante, passaríamos a ter pelo menos três.

Já posso mandar para o Joseph Blatter a sugestão ou você tem mais alguma idéia para incrementar essa fórmula?

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , ,
10/12/2008 - 16:45

As "boleiras" da Playboy

Compartilhe: Twitter

Não acho que a contratação de Ronaldo Fenômeno pelo Corinthians tenha sido a notícia mais bombástica do futebol dos últimos tempos. Nem o hexacampeonato do São Paulo. Muito menos saber que o presidente da Federação Paulista não será mais convidado para ver o show da Madonna no Morumbi. A grande bomba, sem sombra de dúvida, é a capa da revista Sexy deste mês com as fotos de Dany Cavalieri, mulher do goleiro Diego Cavalieri, ex-Palmeiras, agora no Liverpool, da Inglaterra. Ela está na capa e em mais 21 páginas! Digo que é uma grande bomba porque o futebol é ainda um mundo muito machista e tamanha ousadia chama a atenção. Na Europa, isso é mais comum (ontem, aqui no IG, vimos a ex-namorada de Cristiano Ronaldo, que apareceu nua num calendário). No Brasil, são poucos os casos como o de Dany Cavalieri.

É só lembrar tudo o que aconteceu com a bandeirinha Ana Paula Oliveira depois de ter feito um ensaio para a Playboy. Foi apitar jogos da antipenúltima divisão.

Assim, de cabeça, lembro da atriz Terezinha Sodré, mulher do capitão do tri Carlos Alberto Torres, capa da Playboy em outubro de 1986 (somente no Rio de Janeiro. Em outras capitais, ela saiu numa janelinha da capa).

Talvez você lembre de várias namoradas ou ex-namoradas de jogadores que saíram peladas. Duas ex-namoradas do próprio Fenômeno saíram juntas num mesmo ensaio em janeiro de 1998: Nádia França e Viviane Brunieri (que se tornou estrela de filmes pornôs).

Karen Matzenbacher posou para Playboy em abril de 1995. Na época, ela foi apresentada como namorada de um zagueiro da Seleção Brasileira de 1994. Oito meses depois, ela se casaria com o centroavante Jardel e passaria a assinar como Karen Ribeiro. Os dois se separaram em 2002.

Mari Alexandre, hoje sra. Fábio Júnior, também passou pela capa de Playboy em abril de 1992 e foi namorada de Juninho Paulista, ex-São Paulo, Palmeiras e Vasco.

Em fevereiro de 1995, a revista causou escândalo com o ensaio de Andréa de Oliveira, que se apresentava como amante do centroavante Romário. Foi o maior bafafá.

A aniversariante de hoje, Luma de Oliveira, foi namorada do ex-jogador e agora técnico (no momento desempregado) Renato Gaúcho. Ele contou detalhes do relacionamento numa entrevista à revista Interview. Mas Luma já havia posado para a Playboy em setembro de 1987, antes do relacionamento.

Em janeiro deste ano, a Playboy trouxe também do jeito que veio ao mundo Letícia Carlos, já ex-namorada do são-paulino Richarlysson. Alguns jornais chegaram a noticiar um pequeno affair de Letícia com outro jogador, Denílson, então no Palmeiras.

Você deve estar pensando que esqueci da principal… Xuxa, a namorada de Pelé. Não. Achei melhor não colocar foto da capa de Playboy de dezembro de 1982. Xuxa tem uma porção de advogados que ficam monitorando a internet e mandando notificações para quem ousar publicar algo que ela quer que as pessoas esqueçam. Então melhor não mexer com ela.

Autor: - Categoria(s): Celebridades Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
19/11/2008 - 09:32

Gato Fedorento ataca Portugal

Compartilhe: Twitter

As seleções de futebol do Brasil e de Portugal se enfrentam amistosamente esta noite em Brasília. Acabo de ler no jornal que uma equipe do Casseta & Planeta foi escalada para entrevistar os jogadores depois da partida. Pois fique sabendo que os portugueses também têm a sua versão do Casseta. Desde abril de 2003, quatro comediantes portugueses – José Diogo Quintela, Miguel Góis, Ricardo Araújo Pereira e Tiago Dores – formam a trupe Gato Fedorento. Eles começaram com um blog, ganharam um programa na emissora SIC, foram para a RTP e voltaram para a SIC. Adoram contar piadas de futebol (algumas bem sem graça por sinal) e não poupam estrelas, como Cristiano Ronaldo e o técnico Felipão.

Aí vai uma mostra do humor futebolístico do Gato Fedorento. Ria, se for capaz!

 
 

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , , , , ,
16/09/2008 - 22:20

Faltam 12 dias para Museu do Futebol

Compartilhe: Twitter

Está confirmada a data de inauguração do Museu do Futebol, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo: 29 de setembro. O museu abrirá as portas para visitação no dia 1º de outubro. Ele não funcionará em dias de jogos no Pacaembu. O ingresso custará 6 reais. Da minha última visita para ontem, muita coisa mudou. Algumas salas estão praticamente prontas.

Fiz a visita de hoje ao lado do curador e agora diretor executivo do museu, o jornalista Leonel Kaz, torcedor do Ameriquinha. O Leonel está com cara de quem tem dormido pouco. Mas o Museu do Futebol está ficando fabuloso. As duas próximas fotos mostram o saguão de entrada de dois ângulos diferentes. As paredes estão sendo forradas com reproduções fotográficas de peças de colecionadores.

Esta sala mostra belíssimas fotos dos primórdios do futebol brasileiro, quando o estudante paulistano Charles Miller voltou da Inglaterra com bolas de futebol e um livro de regras. Tem também fotos do cotidiano do início do século XX.

Outra sala que está pronta é a das Copas do Mundo. As fotos misturam cenas de futebol e de fatos importantes de cada época. Ao todo, o visitante poderá ver cerca de 2 horas e meia de vídeos produzidos especialmente para o museu, além das narrações de famosos locutores de rádio e das fichas completas dos 148 times que já disputaram a Primeira Divisão do Campeonato Brasileio pelo menos uma vez.

>

O Museu do Futebol tem um salão para exposições temporárias. Apenas ali serão exibidos troféus, camisas, bolas históricas. O espaço será inaugurado com uma exposição da memorabilia de Pelé.
Bem, mas o melhor ficou para o final. Fiquei muito emocionado ao entrar na Sala dos Números e das Curiosidades. Foi a sala que planejei e escrevi com o amigo Celso Unzelte. O projeto visual é de Jair de Souza. Durante a visita, operários estavam colocando as 110 placas no lugar.

Já comecei a imaginar o público enchendo aqueles corredores. Ainda bem que a Praça Charles Miller é bem grande. Tenho certeza que as filas para entrar serão gigantesca.

Autor: - Categoria(s): Esporte, São Paulo Tags: ,
13/09/2008 - 07:42

Shopping quer torcedores bem longe

Compartilhe: Twitter

Em São Paulo, o Shopping Bourbon faz parede com o Parque Antarctica, campo do Palmeiras. Em dias de jogos, os corredores do centro comercial – e o estacionamento – são tomados por torcedores do Palmeiras. Para não intimidar o resto do público, a administração do shopping colocou placas, proibindo a “circulação de torcidas organizadas, além do porte de bandeiras e similares”. Embora não faça referência a nenhuma torcida, o recado atinge diretamente os palmeirenses. Não se tem notícia ainda dos efeitos práticos que as placas conseguiram causar nos torcedores. O shopping vizinho, West Plaza, também enfrenta a mesma situação em dias de jogos no Parque Antarctica, mas nunca colocou qualquer aviso de restrição a torcedores. Você acha que uma placa assim tem alguma serventia?

Autor: - Categoria(s): Bizarro, Esporte, São Paulo Tags: , , ,
Voltar ao topo