Publicidade

Publicidade

15/08/2009 - 15:01

Quando Hollywood acende um cigarrinho

Compartilhe: Twitter

No pôster original de “Coco Antes de Chanel”, a cinebiografia de uma das estilistas mais famosas de todos os tempos, a atriz Audrey Tatou aparece na cama, segurando um cigarro.

No Brasil, o cartaz terá em versão antitabagista, com o cigarro de Coco substituído digitalmente por uma inocente caneta. Nascida em 1883, Coco Chanel era realmente uma fumante inveterada – e, no filme, não faltam cenas e baforadas de Audrey Tatou.

O cigarro e a indústria cinematográfica andam juntas faz tempo. Estrelas de Hollywood como Cary Grant, Gary Cooper, John Wayne, Clark Gable e Bette Davis (foto abaixo) recebiam dinheiro dos fabricantes de cigarro para promover o produto. Apesar de contribuirem para a associação do tabaco com o glamour hollywoodiano,  John Wayne e Gary Cooper morreram de câncer em 1979 e 1961, respectivamente.

Ao longo do clássico “Casablanca”, Humphrey Bogart raramente é visto sem um cigarro. No filme de 1942, quase todos os homens aparecem fumando. Humphrey Bogart morreu em janeiro de 1957, também vítima de câncer.

O rebelde sem causa James Dean não largava o cigarro – a atitude, combinada com o topete, as jaquetas de couro e a camiseta branca, lhe valeu o posto de símbolo da rebeldia juvenil.

Em várias cenas em “A Primeira Noite de um Homem” (1967), Mrs. Robinson (Anne Bancroft) aparece fumando. No filme, ela é uma mulher madura que tem um caso com inexperiente rapazote interpretado por Dustin Hoffman.

Recentemente, o filme “Boa noite e Boa Sorte” (2005), indicado ao Oscar, recebeu críticas pelo número de cenas em que o âncora Ed Murrow (David Strathairn) aparecia fumando ou segurando um cigarro.

Em “Closer – Perto Demais” (2004), as personagens de Natalie Portman, Clive Owen e Jude Law se revezam em cenas de amor e de cigarros.  Apesar de também fazer parte do elenco, a atriz Julia Roberts não fuma em “Closer”, mas aparece fumando em “O Casamento do Meu Melhor Amigo” (1997).

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, existem atualmente 1,1 bilhão de fumantes em todo o mundo. Estudos indicam que adolescentes expostos a cenas envolvendo cigarros nas telonas tem mais chances de se tornarem fumantes no futuro.

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Cinema, Listas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
07/07/2009 - 14:55

A "stripper" que se formou em Harvard

Compartilhe: Twitter

Um dos papéis mais conhecidos da carreira da atriz Natalie Portman foi o da stripper do filme “Closer – Perto Demais”, dirigido por Mike Nichols. A cena insinuante e os diálogos picantes com o ator  Clive Owen podem fazer qualquer um pensar que Natalie é mais uma daquelas atrizes que primam só pela beleza. Não é bem assim.  Hollywood tem uma safra grande de atrizes que fizeram universidade e que são defendem causas sociais bastante sérias. Conheça algumas delas:  

Natalie Portman, nascida em Jerusalém (Israel), em 1981,  é formada em Psicologia pela Universidade de Harvard. Além disso, a atriz fala hebraico e estudou francês, inglês, japonês, alemão e árabe. Vegetariana desde criança, Natalie é ativista dos direitos dos animais e possui sua própria linha de sapatos “vegan”, que não utilizam nenhum tipo de produto derivado de animais durante sua produção.

Kate Beckinsale

Outra linda estrela que também se destaca por sua inteligência  é a atriz inglesa Kate Beckinsale. Nascida em 1973, Kate ganhou prêmios por seus poemas e contos na adolescência e estudou literatura francesa e russa em Oxford. Tudo isso antes de interpretar a vampira sexy no filme ” Underworld – Anjos da Noite” (2003).

Jodie Foster

Jodie Foster iniciou a carreira de atriz em 1965, aos 3 anos, estrelando comerciais. A intérprete de Clarice Starling em “O Silêncio dos Inocentes” (1991) foi oradora de sua turma no colegial e estudou Literatura na Universidade de Yale.

Claire Danes

A carta de recomendação de Claire Danes para a universidade foi escrita pelo cineasta Oliver Stone. Nascida em 1979, a loirinha cursou dois anos de Psicologia em Yale. Um de seus papéis mais famosos é o de Julieta na versão do cineasta Baz Luhrmann do clássico shakespeariano “Romeu + Julieta” (1996), ao lado de Leonardo DiCaprio.

Alicia Keys

A música nova-iorquina Alicia Keys começou a tocar piano aos 7 anos. Aos 14 anos, estava formada pela Professional Performing Arts Schools e, três anos depois, matriculada na Universidade da Columbia.  Seu disco de estreia, “Songs in A Minor”, foi lançado quando a cantora tinha 20 anos e vendeu 12 milhões de cópias no mundo todo. Alicia Keys é co-fundadora da ONG “Keep a Child Alive” (“Mantenha uma criança viva”), que fornece remédios para crianças africanas portadoras do vírus da AIDS.

Elisabeth Shue

O delicado papel de uma prostituta apaixonada por um alcóolatra suicida (Nicolas Cage) em “Despedida em Las Vegas” rendeu a Elisabeth Shue uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz, em 1995. Antes da carreira de atriz, porém, Elisabeth estudou nas Universidades de Columbia e de Harvard. Apesar de ter abandonado Harvard para atuar, Elisabeth retornou em 2000 e formou-se em um curso equivalente à Administração.

Autor: - Categoria(s): Celebridades Tags: , , , , , , , , ,
08/04/2009 - 16:46

As melhores cenas de striptease do cinema

Compartilhe: Twitter

O melhor vídeo da semana foi uma reportagem do programa “Access Hollywood” com Jessica Biel. A matéria traz uma espécie de making of de sua preparação para fazer o papel de uma stripper no filme “Powder Blue”, que será lançado este ano.

Striptease no cinema não é coisa tão nova assim. Rita Hayworth já marcou uma geração inteira tirando apenas uma luva em “Gilda”. O tema ganhou mais força em 1996. Atual senhora Ashton Kutcher, Demi Moore embolsou 12,5 milhões de dólares para estrelar o clássico “Striptease”. Outras atrizes também já se arriscaram em cenas sensuais nas telonas:

Acompanhadas pelas Pussycat Dolls, Cameron Diaz, Lucy Liu e Drew Barrymore castigam os marmanjos dançando uma versão pra lá de sexy do tema da “Pantera Cor-de-Rosa”

“Closer – Perto Demais” (2004), dirigido por Mike Nichols e baseado na peça de Patrick Marber, gira em torno de quatro pessoas envolvidas em tramas amorosas – Julia Roberts, Clive Owen, Natalie Portman e Jude Law. Em uma das cenas, o personagem de Clive Owen entra em um clube e pede para que Natalie Portman faça o strip mais famoso do cinema cult.

De acordo com o site IMDB, o conjunto de calcinha e sutiã usado por Jamie Lee Curtis na cena de strip para Arnold Schwarzenegger em “True Lies” (1994) não eram figurino – eram da própria atriz.

A dupla de diretores Robert Rodriguez e Quentin Tarantino adoram mostrar cenas com mulheres bem à vontade. Em “Um Drinque no Inferno” (1996), a estrela foi a atriz Salma Hayek, que não tinha preparado uma coreografia para a cena. O conselho de Robert Rodriguez foi “sentir a música”. Será que ela conseguiu?

A mesma tática foi usada para desinibir Jessica Alba em “Sin City”(2005):

Já em “Planeta Terror”(2007), a coreografia ficou por conta de Rose McGowan:

Bem, para este blogueiro não ser chamado de machista, aqui vai uma cena de striptease masculino foi mostrada com muito bom-humor no filme “Ou Tudo ou Nada” (1997):

A trilha sonora usada pelos rapazes é uma referência ao filme “9 1/2 Semanas de Amor”, com Kim Basinger e Mickey Rourke:

Quer conhecer outras músicas para striptease? Veja aqui as dicas da Diablo Cody

Autor: - Categoria(s): Cinema, Sexo Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo