Publicidade

Publicidade

03/04/2010 - 17:45

É Páscoa? Então, toma um chocolate!

Compartilhe: Twitter

“Tomar um chocolate”. A expressão usada para times que aplicam goleadas no adversário teria nascido depois de um Vasco 4 x Internacional 0, em 25 de janeiro de 1981, partida válida pelo Campeonato Brasileiro. A goleada foi encarada pelos vascaínos como uma vingança da derrota da final do Brasileirão de 1979. Na cabine da Rádio Globo, o narrador Washington Rodrigues, o “Apolinho”, colocou no ar o clássico “El Bodeguero”, do músico cubano Ricard Egües (1924-2006). Egües era flautista da Orquestra Aragón e a música entrou para o repertório de Nat King Cole. Para Apolinho, o refrão de “El Bodeguero” era bem apropriado para a ocasião: “Toma chocolate/Paga lo que debes”. Assim “tomar um chocolate” foi incorporado ao jargão futebolístico.

(Obrigado ao companheiro Paulo Vinícius Coelho, o “PVC da ESPN-Brasil, que ajudou na pesquisa).

Autor: - Categoria(s): Baú, Esporte, Pergunta Curiosa, Você é curioso Tags: , , , , , , , ,
11/12/2009 - 21:00

Os casos de doping nos campos brasileiros

Compartilhe: Twitter

O atacante Jobson, que jogou o Brasileirão pelo Botafogo, é o mais recente caso de doping no futebol. Na partida contra o Coritiba, dia 8 de novembro, o jogador foi pego no exame antidoping por uso de cocaína. Jobson estava emprestado ao alvinegro carioca pelo Brasiliense, e tinha um pré-contrato assinado com o Cruzeiro para a próxima temporada. Caso o doping se confirme, e o atacante seja suspenso, é improvável que ele vá para a equipe mineira.

jobson

Depois de vencer o Campeonato Brasileiro de 1990 pelo seu clube do coração, o Corinthians, Dinei passou pelo futebol suíço e por Guarani, Portuguesa, Internacional e Cruzeiro, antes de chegar ao Coritiba, em 1996. Foi quando um teste antidoping deu positivo para cocaína, e o jogador admitiu ser usuário da droga. Ele foi suspenso por 240 dias. Em 1998 voltou para o Corinthians e venceu mais dois Brasileiros e o Mundial de Clubes da Fifa.

dinei

Mas nem sempre a culpa pelo doping é do atleta. Foi o caso de Dodô, do Vasco, em 14 de junho de 2007. Em um teste feito depois da partida Botafogo 2 x Vasco 0, dois gols do atacante, ficou constatado que a urina de Dodô continha a substância femproporex, usada para perda de peso. Dodô jurou de pés juntos que não havia consumido nada fora do clube. A palavra dele só foi confirmada depois que testes feitos pela USP detectaram a femproporex em comprimidos de cafeína servidos pelo clube aos jogadores. Mesmo assim, o atacante foi suspenso por 2 anos, e deve voltar aos gramados no ano que vem.

Um dos mais antigos casos de doping no Brasil foi o do atacante Campos, do Atlético Mineiro. Em 1973, Campos foi atingido pelo joelho do zagueiro vascaíno Renê — o mesmo que marcou o pênalti que resultaria no milésimo gol de Pelé. Tomando remédios para se recuperar, o jogador atleticano foi suspenso por 60 dias, depois que o exame antidoping apontou a substância efedrina em sua urina.

campos

Quer mais? Entre no Guia dos Curiosos Futebol e veja mais casos de doping.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo