Publicidade

Publicidade

23/06/2009 - 22:58

O jurado do concurso de hambúrgueres

Compartilhe: Twitter

Ontem à noite fui jurado de um concurso de hambúrgueres promovido pela rede de lanchonetes America (com lojas em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre). Todo ano, o America organiza um concurso de receitas com seus clientes. Todos precisam ser amadores. Foram 5 700 inscritos. O próprio pessoal do America elegeu seis finalistas, que tiveram que preparar suas receitas na hora.

O criador da receita fazia uma rápida apresentação de seu sanduíche. Um garçom desfilava com o hambúrguer na frente dos seis jurados. Depois cada um recebia o seu. Tínhamos que avaliar o sabor, a apresentação e a criatividade de cada receita.


 
O concurso começou com o “Louvre Burger”, de Maria Jabour Rafael Graça. Ele era feito com hambúrguer de fraldinha, maionese light, paté de foie gras, mostarda Dijon, queijo ementhal e pão de hambúrguer integral. Já era quase nove horas da noite e eu estava com muita fome. Mas era preciso guardar espaço para os outros. Por isso, cada jurado comia três ou quatro bocados de cada um.

O segundo foi o “Habiburger”, de Fernanda Assumpção, a única receita veggie da noite. O hambúrguer era feito de falafel de grão de bico e fava, mais citronete de limão, hommus, alface, tomate, pepino, pão de hambúrguer com gergelim preto.

Aí veio o “Salvador Dali Burger”, de Julia Sabagga, o mais diferente de todos. Hambúrguer quadrado, ovo frito, trufas, queijo roquefort e pão de forma tostado.

O “Peladinho”, de André Pereira do Nascimento, tinha esse nome por causa do tomate pelado que trazia. Levava também alho, queijo parmesão, manjericão, calabresa fatiada, cebola picada, mussarela de búfala, alface e pão de hambúrguer tradicional. O André explicou que o hambúrguer foi inspirado num molho de macarrão que ele costuma fazer em casa.

O dentista Fábio Koji Ogawa apresentou o “Nipo Burger”. Foi o campeão na categoria apresentação. Ele encheu os olhos: o sanduíche veio todo enfeitado (não, a gueixa de papel espetada no pão e o tsuru, o pássaro da sorte de origami, não eram comestíveis). Hambúrguer angus, shitake, alho poró, óleo de gergelim, saquê, shoyu, salsão pré marinado (em vinagre branco de arroz com açúcar, saquê, wassabi em pó), coalhada seca, rúcula, wassabi, tudo num pão australiano redondinho. Fábio brincou que o Nipo Burger era uma grande mistura de todo o Oriente (Japão, mundo árabe, Austrália…).

Por último, o “Farofina Burger”, de Bruno Dalla Fina, trouxe hambúrguer angus, queijo brie, cebola picada, funghi secci, mango chutney, alface americana, farelo de pão italiano (temperado com alecrim), sal, pimenta do reino e pão ciabatta redondo.

O grande campeão foi o “Nipo Burger”. Em segundo ficou o “Farofina”, seguido do “Louvre Burger”. Os premiados não entrarão necessariamente no cardápio do America. Agora a equipe da rede fará testes para estudar a viabilidade da entrada de algum ingrediente novo ou até de um desses sanduíches vencedores. Só que, por enquanto, só eu e os quatro jurados tivemos a oportunidade de experimentar essas receitas.

Autor: - Categoria(s): Comes e bebes Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo