Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Brinquedos

13/11/2008 - 08:14

A Atma é ótima!

Compartilhe: Twitter

Entrei numa loja de brinquedos ontem com meu filho mais novo. Na verdade, ele entrou e eu corri atrás dele. O Antonio ficou passeando pelos corredores, identificando os brinquedos com os personagens que ele conhecia da TV. A loja era bem grande e já estava abastecida para o Natal. Por um instante, fiquei lembrando da pouca oferta de brinquedos que havia no meu tempo de criança. Lembrei também de duas empresas que marcaram essa época e que não existem mais: a Atma e a Trol. Ao chegar em casa, resolvi matar a saudade das duas e encontrei alguns comerciais antigos no You Tube. Além de brinquedos, a Atma fazia também utensílios domésticos de plástico, incluindo o lançamento no mercado do lava-arroz. A empresa fabricava até assentos plásticos para vasos sanitários. Seu slogan: “A Atma é ótima!”. A Trol pertencia a Dílson Funaro, ministro da Economia no Governo Sarney. A empresa trouxe os primeiros bonecos de Playmobil para o Brasil. Fechou suas portas em 1990, pouco depois da morte de Funaro. Seu slogan: “Trol, bom motivo pra ser criança”.
Veja agora um comercial da Atma (eu tive um desses tobogãs!) e um comercial da Trol (não, eu não tive essa boneca…)

Autor: - Categoria(s): Brinquedos Tags: , ,
06/11/2008 - 16:34

Juro que não fui eu!

Compartilhe: Twitter

Sabe aquela história do “não fui eu” quando um cheiro horroroso começa a tomar conta da cabine do elevador? Um empresa norte-americana lançou um detector de gás metano que toca um alarme assim que o cheiro começa a aparecer. O aparelhinho “Fart Detector” custa 34,99 dólares, mas está em falta na loja virtual da Cornells:
http://www.cornells.com/product.cfm?s=7&p=14

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: ,
11/10/2008 - 06:58

Os 40 anos do Hot Wheels

Compartilhe: Twitter

Os colecionadores de carrinhos Hot Wheels têm um encontro marcado hoje das 10h às 19h, na Vila dos Ipês (Avenida Mofarrej, 1505, no bairro de Vila Leopoldina). Será a 1ª Convenção Oficial dos Colecionadores de Hot Wheels, que está completando 40 anos. O Brasil é o segundo maior mercado consumidor das miniaturas – só perde para os Estados Unidos. Embora eu ache os antigos Matchbox bem mais bonitos, vou dar uma passada por lá para conferir.

Aproveite para ler algumas curiosidades sobre o Hot Wheels:

A marca de carrinhos de brinquedo Hot Wheels foi criada em 1968 pela Mattel. A primeira coleção lançada contava com 16 carros e foi produzida por um time de 80 designers, engenheiros e artistas. Entre os aficcionados, a primeira coleção de Hot Wheels é conhecida como “Sweet Sixteen”. As miniaturas são tradicionalmente produzidas na escala 1:64.

Um dos primeiros designers de Hot Wheels, Harry Bentley Bradley inspirou-se em seu próprio carro – um El Camino 64 customizado – para produzir o “Custom Fleetside”. Ex-designer da General Motors, Bradley também criou o clássico Chevrolet Camaro, considerado por muitos como o primeiro Hot Wheels lançado.

A fabricante de brinquedos Mattel estima que 41 milhões de crianças cresceram brincando com os Hot Wheels e que um verdadeiro colecionador possui em média 1550 carrinhos.

Em 2000, um colecionador desembolsou 72.000 dólares por um Volkswagen Beach Bomb produzido em 1969. A miniatura da van com uma prancha de surf saindo pela janela é raríssima: possui apenas 25 exemplares.

Até 1969, todos os modelos de Hot Wheels eram inspirados em carros já existentes. O primeiro Hot Wheels com um design totalmente original foi o “Twin Mill”, projetado por um outro ex-designer da General Motors, Ira Gilford.

Em comemoração aos 40 anos de existência da marca, em 2008, a Mattel produziu um carrinho cravejado de diamantes, cujo valor é estimado em 140 mil dólares. O “brinquedo” foi criado pelo designer Larry Wood e trabalhado pelo joalheiro Jason Arasheber.

Autor: - Categoria(s): Brinquedos Tags: ,
29/06/2008 - 12:33

Quem vai pegar o morto?

Compartilhe: Twitter

Comprei o baralho numa viagem aos Estados Unidos. Todas as cartas são imagens do filme “O Massacre da Serra Elétrica”. Algumas são assustadoras. O baralho faz parte de uma série com vários filmes de terror. Deve ser ótimo para jogar buraco. Todo mundo acaba pegando o morto mais cedo ou mais tarde.

Veja outros baralhos:

http://nmrdist.com/nmrdistribution/index.php?page=shop.browse&category_id=27&option=com_virtuemart&Itemid=45

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: , ,
25/06/2008 - 15:45

O Tetris humano

Compartilhe: Twitter

O quebra-cabeça eletrônico Tetris foi criado pelo russo Alexey Pajitnov em junho de 1985. Ele trabalhava no Centro de Computação Dorodnicyn da Academia de Ciências de Moscou. O nome do joguinho vem da junção de duas palavras: o numeral grego “tetra”, que significa quatro (cada peça tem quatro partes), e tênis, o esporte preferido de Alexey. Cada peça tem quatro partes
O Tetris foi eleito por uma revista de games como o jogo mais popular de todos os tempos. Ele só caiu no gosto popular em 1989 quando foi adaptado para a plataforma Game Boy.
Aí vieram os japoneses e resolveram fazer uma versão do Tetris com seres humanos. Veja o que aconteceu…

Ah, e tem também a versão com biquinis!

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: , ,
21/06/2008 - 09:34

Cenas clássicas com Lego

Compartilhe: Twitter

Já que falei esta semana sobre a volta do Playmobil, hoje vou escrever sobre o Lego. O fotógrafo inglês Mike Stimpson recriou cenas clássicas usando as famosas pecinhas de plástico. Tem o gol de Maradona com a mão contra a Inglaterra na Copa de 1986 e também a famosa cena em que um estudante chinês parou uma fila de tanques na Praça da Paz Celestial, em Pequim. Confira algumas delas:

http://diversao.uol.com.br/album/bbc/mike-stimpson_album.jhtm

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: , , ,
19/06/2008 - 08:18

Globetrotters e Playmobil

Compartilhe: Twitter

Numa mesma semana, dois ícones da minha infância foram notícia por aqui: o time de basquete do Harlem-Globetrotters e os bonequinhos do Playmobil.

Fui ver ontem o show dos Harlem-Globetrotters no Ginásio do Ibirapuera. As condições do Ibirapuera são lastimáveis. Foi quase impossível ouvir as piadas que Special K, o camisa 21, fazia em quadra. O som era péssimo. Além disso, o Ibirapuera está parecendo uma feira. Nunca vi tanto vendedor. Tinha até gente vendendo aqueles crepes suíços e espetinhos de morango ao chocolate. Só que eles não param de vender durante o show, num total desrespeito. Está cada vez mais difícil ir a um espetáculo em São Paulo. É tudo muito caro e o cliente é sempre tratado com pouco caso. Ontem, o ginásio só tinha metade de sua capacidade.

Quer conhecer um pouco da história do time? Ele foi criado pelo empresário Abe Saperstein em 1926, no Estado de Illinois. Abe já tinha sido técnico de um time só com jogadores negros em Chicago, o Savoy Big Five e, depois de brigas com seu sócio no time, resolveu criar sua própria equipe, que no início se chamava New York Globetrotters. As primeiras apresentações aconteciam no Savoy Ballroom, em Chicago e, depois que o lugar virou rinque de patinação, a saída foi colocar o time na estrada. Acredite: todos viajavam a bordo do Ford Modelo T de Saperstein.

Em 1930, o empresário mudou o nome da equipe para Harlem Globetrotters, para enfatizar que todos os jogadores eram negros, já que o Harlem é o nome do bairro negro de Nova York. Já “Globetrotters” quer dizer “viajantes do mundo”, e dava a impressão que eles já tinham estado em muitos lugares.

Todos os jogos dos Globetrotters começam com a música “Sweet Georgia Brown”, usada desde 1947.
Em uma apresentação em Lisboa, os Globetrotters ficaram o tempo todo trocando bola no meio da quadra e divertindo os torcedores – vendiam cachorro-quente e roubavam as bolsas de algumas senhoras. No último segundo, eles fizeram uma cesta e venceram por 2 x 0 – o único 2 x 0 de que se tem notícia no basquete.
Os Globetrotters viraram personagens dos desenhos da dupla Hanna-Barbera em 1970. A primeira série teve apenas 13 episódios. Eles voltaram em 1979, desta vez como os Super Globetrotters.

Quer ler mais curiosidades sobre o divertido time norte-americano?
Clique aqui:
http://guiadoscuriosos.ig.com.br/index.php?cat=3285

A segunda novidade é que o Playmobil volta a ser vendido no Brasil.
Fazer bonecos de plásticos de tamanho reduzido (7,5 centímetros) foi a solução encontrada pela indústria de brinquedos para enfrentar a crise do petróleo deflagrada na década de 1970. Ela ocasionou o aumento do preço de diversos materiais utilizados no setor e obrigou os fabricantes a desenvolver projetos com peças plásticas bem menores.

>

No caso da alemã Geobra-Brandstatter, essa tarefa ficou a cargo de Hans Beck, chefe de criação. Ele demorou três anos para criar os personagens da família Playmobil, que foram apresentados ao mercado em uma feira mundial em 1974. A princípio, eles não fizeram sucesso entre a garotada. Mas cerca de um ano depois, estouraram na Europa e passaram a ser exportados para diversos continentes.

O brinquedo chegou ao Brasil entre 1977 e 1978. A Troll foi responsável pela comercialização em uma primeira fase, e depois passou a bola para a Estrela, que interrompeu o negócio em 1996.

Mais curiosidades:
http://guiadoscuriosos.ig.com.br/index.php?cat=3976


<br

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: , , ,
27/05/2008 - 12:44

O cubo mágico

Compartilhe: Twitter

O cubo mágico foi inventado pelo professor húngaro Ernö Rubik em 1980. Ele revolucionou o mercado de quebra-cabeças. Cada uma das faces do cubo tinha quadradinhos da mesma cor. Era preciso embaralhar e conseguir voltar ao resultado inicial. Eu nunca consegui nem chegar perto da solução final. Sempre tive muita dificuldade com quebra-cabeças. Encontrei no YouTube uma série de vídeos, ensinando passo a passo a resolução do cubo. Depois reclamam do Mister M… Se você é como eu, assista ao vídeo:

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: ,
15/05/2008 - 22:02

Ultraman: brinquedo para marmanjos

Compartilhe: Twitter

O Antonio Mier, que apresenta o quadro “Sci-Fi” do TV Curioso, está feliz da vida com a nova aquisição de seu Museu de Quinquilarias: ele anda para cima e para baixo com um boneco do Ultraman todinho articulado. E o Ultraman chegou há pouquíssimo tempo do Japão. Ele veio acompanhado do avião “VeTOL” e de uma cápsula Beta. . A função dela é alternar o status da luz do peito do Ultraman. Quando ele está com as “baterias” carregadas ela é azul e quando enfraquece fica vermelha e pisca – igual ao filme

O Mier me enviou um e-mail relatando destalhes da aquisição. Se quiser comprar um, siga os passos dele:

“Saí para procurar um CD de trilhas sonoras no bairro da Liberdade e, no caminho, encontrei uma máscara de látex do Ultraman. Fiquei com vontade de comprá-la, mas o preço estava salgado demais. Aí o vendedor começou a me mostrar outras peças e perguntei se ele tinha algum boneco articulado. Ele me mostrou um Ultraman Tiga, que não estava à venda, pois tinha sido encomendado por um colecionador. Perguntei se havia um boneco do Ultraman daquele jeito e ele me respondeu: “Só no Japão!” Fiz umas buscas na internet e encontrei um blog japonês de um colecionador que montava dioramas (maquetes) das cenas dos filmes com esses bonecos. Anotei a marca e pesquisei de novo até chegar ao site www.japantoys.net

“Pensa que acabou? Aí começou o dilema da escolha do modelo. Afinal, eles são verdadeiras “jóias” e os preços não nos deixam esquecer disso. Ultraman, Ultraseven ou um dos monstros? Foram 3 dias visitando o site para definir a opção. Optei pelo Ultraman…mas que modelo? Como os fãs da série sabem, três modelos participaram da primeira temporada: o Ultraman tipo A, tipo B e tipo C. Mais que raios é isso? Na verdade são as variações nas feições e nos olhos que ocorreram nas máscaras do herói durante os episódios. A tipo A tinha um monte de imperfeições. Parecia ser feita de massa. Não sei do que era feita, mas com o calor dos refletores ela ia se deformando. A tipo B ganhou algumas melhorias, inclusive nos traços, e a tipo C apresentou os melhores resultados. Voltando à minha compra, passei mais dois dias analisando os comentários e as figuras no site. Pensei, pensei e pensei e resolvi optar pelo tipo C. Fiz a compra pelo site. A encomenda deveria chegar entre 5 e 8 dias. Como naquele período ainda houve uma pequena greve dos Correios, o boneco chegou 8 dias depois…8 dias que pareceram 2 anos tamanha era minha ansiedade. Mas o prazer que senti ao receber aquela peça foi indescritível. Coisas de colecionador…”

Para comprar o seu, clique aqui:

http://japantoys.net/product_info.php?products_id=499

Para quem prefere o Ultraseven:

http://japantoys.net/product_info.php?products_id=456

Autor: - Categoria(s): Brinquedos, Sem categoria Tags: , , , , ,
Voltar ao topo