Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Brasil

01/04/2010 - 17:40

Muito prazer, eu sou o rúgbi brasileiro!

Compartilhe: Twitter

A primeira campanha nacional de publicidade da Confederação Brasileira de Rugby não poderia ser mais sincera: “Rugby: isso ainda vai ser grande no Brasil”. Segundo a entidade, o rúgbi  é o segundo esporte coletivo  mais praticado no mundo, mas ainda é pouco conhecido por aqui. Como o futebol americano está ganhando muitos adeptos por aqui, o rúgbi quer aproveitar a carona. O filme “Invictus”, com Morgan Freeman, que concorreu ao Oscar, também contou pontos. O publicitário João Livi, da agência Talent, soube explorar isso com muito bom-humor. O patrocínio da campanha é da empresa Alpargatas/Topper, que patrocina a seleção e tem interesse na popularização do esporte.

O primeiro filme mostra um jogador recebendo um pedido de autógrafo de uma fã muito especial.

Já o segundo é sobre uma entrevista coletiva (que, de coletiva, só tem o nome) com profissionais do esporte. Fique de olho na surpresa do final:

Aproveite para conhecer o Flag Football, uma variante mais light do rúgbi, que foi tema de uma reportagem do TV Curioso. Clique aqui.

Autor: - Categoria(s): Brasil, Esporte, Propaganda Tags: , , , , , , ,
30/03/2010 - 18:20

Como mudar de nome ou sobrenome

Compartilhe: Twitter

Na Folha de S. Paulo de hoje, uma professora paulistana chamada Maria Nardoni, 56 anos, falou sobre  os constrangimentos que tem passado desde que estourou o caso “Nardoni”. Embora não tenha nenhum parentesco com o assassino da própria filha, ela vive sendo olhada de lado toda vez que precisa apresentar um documento. Alguns de seus parentes já receberam até ameaças pelo telefone. Tudo por causa do sobrenome.

Fazer mudanças no nome não é uma tarefa das mais simples. Para começar,  é preciso entrar com uma ação na Justiça e provar que o nome ou o sobrenome causam algum tipo de constrangimento ou situação vexatória. Os motivos podem variar de homônimos (pessoas com nomes idênticos), erros de digitação do escrivão no momento do registro ou até mesmo nomes, digamos, excêntricos demais, como Domingão Sabatino Gomes, Japodeis da Pátria Torres ou Grande Felicidade Virgínia dos Reis. Sim, essas pessoas existem.

Para acrescentar apelidos ao nome, o processo judicial é quase o mesmo. O interessado deve  provar que tem um público bastante grande que o conhece por aquele codinome.  Foi assim com Maria da Graça, que incorporou o “Xuxa” , e com Luís Ignácio, que colocou o “Lula”.

Outro caso famoso de mudança de nome foi do médium Chico Xavier. Ele só passou a se chamar Francisco Cândido aos 56 anos. Antes disso, ele era Francisco de Paula Cândido. Ele nasceu em 2 de abril, dia de São Francisco de Paula. Daí a escola do nome. Ao deixar de ser católico, ele resolveu  desvincular seu nome do santo.

Vale lembrar que nomes com pendências não podem ser trocados. Pessoas que respondem a processos criminais ou possuem dívidas em seu nome não podem pedir alteração na certidão de registro.

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, Jornalismo Tags: , , , , , , ,
16/03/2010 - 22:17

Português para estrangeiros pela internet

Compartilhe: Twitter

Ser falante nativo de uma língua complicada como a portuguesa tinha que ter alguma vantagem. Pois tem, e das grandes. Nós, brasileiros, não ficamos tão perplexos com questões do tipo: “qual é a diferença entre gostar de café brasileiro e do café brasileiro?”.

A diferença é pequena, quase imperceptível, a gente sabe. Mas, para a autora dessa pergunta, a confusão é grande. A dúvida foi postada por uma finlandesa no WordReference, um site em que usuários de países diferentes se cadastram para aprender línguas estrangeiras, participando de fóruns e discussões. O curioso é que falantes nativos podem ajudar os estrangeiros a entender expressões populares que não se encontram nos dicionários bilíngues tradicionais.

Mas aprender uma outra língua não é a única vantagem de sites como esse. É muito interessante (e divertido, por que não?) ver as dúvidas dos estrangeiros sobre a nossa língua. Quem já parou para pensar no significado de “ser obrigado a pedir o boné”? Um norte-americano se deparou com a expressão estranha, e pediu ajuda:

Olá pessoal:
Tenho uma dúvida a respeito da frasse ‘ser obrigado a pedir o boné’. Aqui está o parágrafo completo:
‘Aquele mesmo general que, em abril último, tentou um golpe contra o presidente Wasmosy e acabou, por pressão do Brasil e dos EUA, sendo obrigado a pedir o boné.’
Tem a ver com a prática na milícia quando alguém é obrigado a se demitir de seu cargo? Alguém sabe como dizer isso em inglês?
Obrigado de antemão

Um brasileiro fez a gentileza:
Exatamente. Pedir o boné é despedir-se, afastar-se, desligar-se. (Regionalismo, Brasil, uso informal.)

A finlandesa do (e não de) café também não ficou sem resposta. Mas, para ela, as explicações vieram do Brasil e de Portugal:

Não se preocupe com isso, pois misturamos as duas formas em expressões… Gosto do vinho de Portugal. Gosto da música do Brasil. Gosto das camisetas daquela loja”, respondeu uma brasileira, e um português complementou: “Eu mais depressa diria que gosto DE café brasileiro. No entanto, não considero incorrecta a outra versão”.

Explicar expressões que parecem tão simples pode ser uma tarefa curiosa. O que significa “abrir mão”?  Bemvindo ou Benvindo podem ser usados como nomes próprios no Brasil? O que quer dizer “estou com água na boca”? São dúvidas reais. Está tudo no fórum do WordReference.

E agora: você ficou  morrendo de ou da curiosidade?

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, Sites curiosos Tags: , , , ,
18/02/2010 - 19:58

Catarina quer chorar. Ela tem um gatinho!

Compartilhe: Twitter

À primeira vista, o caso de Catarina Mattar poderia ser um simples erro de programação. Cliente da operadora de telefonia TIM, a carioca começou a receber contas com um nome esquisito. Suas contas passaram a vir endereçadas para: “Catarina Quer Chorar Ela Tem Um Gatinho”. Você não leu errado, é isso mesmo: “Catarina Quer Chorar Ela Tem Um Gatinho”.

Com um problema em relação aos serviços prestados pela TIM, Catarina ligou diversas vezes à operadora, procurando uma solução. Foram tantas as reclamações, que, em uma das vezes, a cliente não aguentou e caiu no choro. Argumentou ainda que, por morar sozinha — apenas com seu gato —, não podia perder tempo com as ligações. Daí para frente, Catarina Elias Jacob Mattar virou “Catarina Quer Chorar Ela Tem Um Gatinho”. Uma brincadeira do atendente mudou todo o cadastro da consumidora.

José Carlos Paes, desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, deu ganho de causa a Catarina, que deverá receber uma indenização de 12 mil reais por danos morais.

angry_wet_cat

Já o problema de outro consumidor foi com uma loja de eletrodomésticos. Ele comprou uma televisão a prazo mas, ao chegar em casa, percebeu que o aparelho estava com defeito. Não conseguiu trocar, entrou na Justiça, e ganhou a causa.

O juiz Cláudio Ferreira Rodrigues, autor da sentença a favor do consumidor, justificou por que tomou sua decisão da seguinte maneira: “Sem ele [o aparelho de TV], como o autor poderia assistir às gostosas do Big Brother, ou o Jornal Nacional, ou um jogo do Americano x Macaé, ou principalmente o jogo do Flamengo, do qual o autor se declarou torcedor?”. Dias depois, o próprio juiz se declarou torcedor rubro-negro.

Outro juiz do Rio de Janeiro também usou palavras pouco ortodoxas para proferir sua sentença. Paulo Mello Feijó se referiu a uma das partes de um processo como “solene corno”. O corno, no caso, era um policial federal que fora traído pela mulher e ameaçou o amante dela.

Dias depois, o próprio amante foi à corregedoria da PF e pediu a abertura de uma investigação contra o “solene corno”. O marido, irritado com a exposição do caso, entrou com o processo na Justiça, mas acabou derrotado.

E quando não são as sentenças que são bizarras, e sim as leis? Confira um livro que reúne as leis mais esdrúxulas de todo o mundo.

Autor: - Categoria(s): Bizarro, Brasil Tags: , , , , , ,
10/02/2010 - 22:51

Candidata faz corpo-a-corpo com o eleitorado

Compartilhe: Twitter

No próximo dia 14 de março, os colombianos  irão às urnas para escolher seus novos representantes. Para chamar a atenção do eleitorado, a candidata Maria Fernanda Valencia fez uma promessa um tanto ousada: se vencer a eleição, vai posar nua. “A nudez é um meio para passar uma mensagem”, justificou  Maria Fernanda  em entrevista ao jornal colombiano El Tiempo. Aos 42 anos, a ex-vice-ministra do Turismo da Colômbia pretende sair nua em alguma revista masculina, caso seu nome esteja entre os novos deputados. Com colégio eleitoral na capital do país, Bogotá, Maria Fernanda oferece, além do corpanzil, proteção às áreas verdes da cidade e às mulheres vítimas de violência doméstica. E por que posar nua? “Porque na minha campanha não tenho caciques eleitorais e nem dinheiro de grandes companhias”, conclui a candidata.

mfv

Maria Fernanda Valencia, candidata na Colômbia

Aqui no Brasil, a moda ainda não pegou. Mesmo assim, a jornalista Soninha Francine  fez uma foto sem roupa para o calendário 2010 da ONG CicloBR, que promove o uso de transportes ecológicos. A atual sub-prefeita da Lapa, em São Paulo, é apontada como uma provável candidata à sucessão do governador José Serra. Quanto a foto, Soninha está toda envolta em sombras e a nudez pouco aparece.

sspl gretchen.thumbnail

Esse, digamos, corpo-a-corpo com o eleitorado já esteve presente em muitas outras campanhas.  Uma delas foi a da modelo Núbia de Oliveira, candidata à Câmara Legislativa de Uberaba (MG), pelo Partido Liberal (PL). “O partido queria que eu usasse shortinho e miniblusa na campanha, mas preferi blazers”, explicou ela na época. Liberal, mas nem tanto. Com apenas 166 votos, Núbia não foi eleita. A “Rainha do Bumbum” Gretchen também concorreu a um cargo público, pelo Partido Popular Socialista (PPS), na cidade de Itamaracá (PE). Ela tentou a prefeitura da cidade, mas só recebeu 343 votos.

A atriz pornô Makerley Reis, protagonista do filme “A Menina do Sexo Diabólico”, mostrou os seios durante uma audiência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Paulo. Foi a maneira que ela encontrou para lançar a candidatura de vereadora pelo PMDB, em 1988. Também conhecida como “Cicciolina do Bexiga” — por causa do bairro paulistano —, Makerley não conseguiu se eleger.

Dez anos após brilhar no concurso Lady Universo, na Itália, a ex-atriz de pornochanchadas Célia Artacho se elegeu deputada estadual por São Paulo, em 1994, pelo Prona. Os principais filmes da carreira de Célia foram “Dezenove Mulheres e Um Homem” e “Matador Sexual”.

Autor: - Categoria(s): Brasil Tags: , , , , , , ,
04/02/2010 - 13:51

O dinheiro brasileiro que sumiu

Compartilhe: Twitter

novorealOntem o Banco Central divulgou a imagem das novas cédulas de Real. As primeiras a circular serão as de 50 e 100 reais, já a partir de julho deste ano. A substituição completa das notas só se dará em 2014. Logo que as fotos começaram a circular pela internet, um monte de gente no Twitter ficou se perguntando: “Cadê a nota de 1 real?”.

esqueroddireitoAs notas de 1 real deixaram de circular em 2005. Na época, o Banco Central aumentou a circulação das moedas de 1 real, para que suprissem a falta das cédulas. Eram 174,2 milhões de reais em notas contra 1 bilhão de reais em moedinhas. Havia, porém, um grande revés: o preço de produção das moedas. Feitas de alpaca e aço revestido de bronze, cada uma custava 24 centavos para ser produzida. As notas de 1 real, por sua vez, saíam por metade desse valor. Apesar disso, o BC argumentou que as moedinhas duravam cerca de 30 anos, enquanto as notas de papel aguentavam aenas 11 anos no mercado. A instituição também argumentou que as moedas são mais higiênicas que as notas, principalmente as de 1 real, que trocavam muito de dono.

Quer ver outro dinheiro que sumiu? A moedinha de 1 centavo. Cada uma custava 9 centavos de real para ser produzida pela Casa da Moeda. E, no final das contas, o brasileiro não dava muita importância para as pequeninas, que acabavam renegadas no fundo de alguma gaveta. Em 2004, o Banco Central decidiu parar de produzi-la, embora ela continue circulando.

Mais um caso de sumiço monetário? Em 2000, a Casa da Moeda começou a importar 250 milhões de notas de plástico de 10 reais, diretamente da Austrália. Com a efígie de Pedro Álvares Cabral, a cédula foi lançada oficialmente em 22 de abril de 2000, data que marcou os 500 anos da chegada dos portugueses ao Brasil. Ainda em 2000, no mês de novembro, o design da nota teve pequenas modificações. Seis anos após o lançamento das cédulas, em outubro de 2006, o Banco Central começou a tirar de circulação as notas de plástico. A justificativa é que elas não caíram no gosto popular (será?) e que os bancos (quem, de fato, manda no país) tinham dificuldade em adequar seus equipamento à contagem de notas de plástico.

975

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, Invenções Tags: , , ,
01/02/2010 - 21:43

O Itaú-Personnalité e o golpe da premiação do cartão

Compartilhe: Twitter

Estou lendo a edição de janeiro de “Época Negócios”. Na página 21, encontro uma reportagem que tem tudo a ver com o que aconteceu comigo hoje: “Quem ganha? Pesquisa revela que programas de fidelização dos cartões de crédito são ótimos – para as empresas”. A mais pura verdade! Fui vítima de uma grande mentira do cartão Unicard Visa Platinum. A principal vantagem, segundo a gerente do Unibanco (Rua Casa do Ator) que me convenceu a levar o cartão, é que eu poderia escolher a companhia aérea que eu quisesse. Não precisaria passar por toda aquela burocracia dos tradicionais planos de milhagem. Com 50 000 pontos, eu já teria uma passagem para a América do Norte. O livreto “Passaporte Premium”, que veio junto com o cartão, deixava isso bastante claro (clique na imagem para ler o que o que diz o texto sobre o benefício ).

platinumvisa

Pois bem: todos sabem que o Itaú comprou o Unibanco e eu me vi compulsoriamente obrigado a mudar de banco. Não sem antes receber a visita da gerente geral da minha conta, garantindo que nenhum dos meus benefícios seria alterado. E aí que começa a picaretagem. Depois de dois anos juntando milhas, consegui atingir os 100 mil pontos, que me dariam duas passagens para os Estados Unidos. Até que chegou a hora de pedir o resgate. Ao consultar um outro gerente, o Itaú-Personnalité mandou avisar que o novo cartão não tinha mais esse benefício. Eu deveria depositar os meus pontos num Plano de Milhagem e resgatar as passagens da forma convencional. Depois de muita briga (sempre pelo telefone, pois os gerentes tinham ordens expressas de não mandar nenhum email “comprometedor” para mim), o Itaú-Personnalité, ah, tão bonzinho!, disse que abriria uma “exceção” para mim. Depois de quase um mês, cobrando isso diariamente, um outro gerente me deu a “excelente notícia”: os meus 100 mil pontos valiam R$ 2.400,00 – ou seja, apenas uma passagem em baixa temporada.

Como assim? As minhas duas passagens tinham encolhido para uma? Pedi cópia do contrato para ver quais eram as regras do índice de conversão que eles tinham adotado. Nova enrolação… Por que tanta demora para as respostas? A gerente geral dizia que o “Unibanco acabou e que toda a documentação já estava no arquivo morto”. Acabou? Pois vejo dezenas de agências ainda abertas todos os dias. Hoje ela me ligou para dizer que o índice era esse mesmo, que o índice de conversão não está escrito em lugar nenhum (ele só era informado para quem ligasse para o banco) e que aquele livrinho que eu tinha “era só uma peça de marketing”. Em resumo, o que ela quis dizer: “É pegar ou largar!”.

É isso. Eles sempre ganham. Sempre. Hoje estamos nas mãos de seis bancos: Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil, Caixa Econômica e HSBC. Com lucros estratosféricos, quem é que se importa com um pequeno cliente? Que diferença eu faço para o banco? O meu desabafo é só mais um desabafo. Todos nós sabemos as incríveis barbaridades que os bancos fazem com clientes diariamente. O Roberto Setúbal vai ter uma ótima noite de sono e eu vou ter insônia de tanta raiva que passei com as bobagens que tive que ouvir.

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, São Paulo, Seu passado te condena Tags: , , , , , ,
12/01/2010 - 19:32

Os nomes de bebês mais usados em 2009

Compartilhe: Twitter

Se você ainda não conhece nenhum Enzo, seu filho, sobrinho ou neto com certeza conhece. Enzo é um dos 10 primeiros nomes que constam na lista elaborada pelo site Baby Center Brasil, que consultou o registro de 28 mil bebês nascidos em 2009. O resultado foi uma lista dos 100 nomes mais utilizados ( Marcelo está apenas em 58º.)

lista

hthApesar de haver muitos nomes “novos” — como Derek, Bryan e Kevin —, os nomes típicos portugueses marcam presença na lista: Pedro (7º), Joaquim (55º) e João (30º), além de suas variantes (João Pedro, João Vítor, etc.); Manuel  ficou de fora.

Mas se estivéssemos em Portugal, essa lista não seria nem um pouco extensa. De acordo com o Instituto de Registros e Notariado daquele país, os nomes dos recém-nascidos “devem ser portugueses, de entre os constantes da onomástica portuguesa ou adaptados, gráfica e foneticamente, à língua portuguesa”. Assim, lá não vale Elizabeth, só Elisabete.

Para facilitar as coisas, o governo português fez uma lista dos nomes permitidos. Se eu tivesse nascido português, não teria problema nenhum: Marcelo pode.

Agora vamos conferir se  seu nome é um dos mais populares entre bebês nascidos em 2009? Em Portugal, ele é permitido? Veja as listas completas clicando aqui e aqui.

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, Listas Tags: , , ,
29/12/2009 - 16:19

Feliz ABBAno Novo!

Compartilhe: Twitter

2009 está chegando ao fim… Hora de fazer aquele bom e velho balanço dos últimos 12 meses. No começo do ano, lancei “Um Livro Fechado para Reforma“, o primeiro a falar de reforma ortográfica para crianças. Na TV, além do já consagrado “Loucos por Futebol”, comecei a apresentar o Game Up, na ESPN Brasil. O programa já é um sucesso entre os gamers. Outra boa notícia foi a minha volta à BandNews FM. Para os ouvintes de São Paulo, apresento diariamente o quadro “É São Paulo que Não Acaba Mais“. Sábados e domingos, os ouvintes do país inteiro conferem o “É Brasil que Não Acaba Mais“, que faço ao lado do talentoso Luiz Megale.  No “Fanáticos por Futebol”, na Rádio Bandeirantes, divido agora a apresentação com Sérgio Patrick, outra grande novidade  de 2009. O programa está muito mais dinâmico.  O twitter de “O Guia dos Curiosos”  está perto de alcançar a marca de 5 mil seguidores. Em resumo: só coisas boas!

Agora é hora de dar uma paradinha para recarregar as energias. 2010 promete ser um ano cheio de trabalho e de mais curiosidades.  Prometo que muitas novidades vão pintar logo no comecinho do ano na ESPN-Brasil, na Rádio Bandeirantes, na BandNews FM, no Jornal da Tarde e na Panda Books.

Para festejar a entrada do Ano Novo, ouça “Happy New Year” com o grupo ABBA. Durante muitos anos, a TV sueca exibiu esse clipe à meia-noite. Feliz 2010!!!

Autor: - Categoria(s): Brasil, Cotidiano, Datas Comemorativas, Jornalismo, Você é curioso Tags: , , , , , , , , , , , ,
18/12/2009 - 23:04

Jabuticaba para brindar o Ano Novo!

Compartilhe: Twitter

Cansado de brindar o Ano Novo com o espumante de sempre?

esp-caixa

Que tal  experimentar um espumante com sabor de… jabuticaba! O “Villardi Jabuticaba Sparkling” é uma edição limitada da bebida, lançada esse ano pela Vinícola Villardi. O “kit sparkling” (com as duas incríveis taças da foto acima) está disponível no site “Jabuticaba na Garrafa” por R$ 32,00. Só a garrafa custa R$16,00.

esp-close

Ah, para abrir uma garrafa de espumante como um verdadeiro campeão de Fórmula 1, basta seguir esses passos:  balance a garrafa e, com os polegares, empurre a rolha para a frente e para trás até que ela saia, produzindo o som de um tiro. A rolha voadora chega a atingir uma velocidade de até 60 km/h. Os especialistas em vinho, porém, não recomendam a técnica. Eles dizem que ao sacudir e derramar a bebida perde-se o gás e a espuma, que justamente caracterizam a bebida.

Quer saber como alugar sua própria jabuticabeira? Relembre nesse post aqui.

Autor: - Categoria(s): Bizarro, Brasil, Comes e bebes Tags: ,
Voltar ao topo