Publicidade

Publicidade

Arquivo de agosto, 2009

31/08/2009 - 16:43

Conheça o Museu dos Três Patetas

Compartilhe: Twitter

Os fãs de Moe, Larry e Curly podem matar a saudade das trapalhadas do trio no “Stoogeum — O Museu dos Três Patetas”, localizado na cidade de Ambler, no Estado americano da Pensilvânia. Ele foi criado em 2004 é mantido por Garry Lassin, que, além de fã dos Três Patetas, é casado com a neta do irmão de Larry.

Entre os quase 100 mil itens disponíveis no acervo do museu, os visitantes podem conferir fotos raras, trajes usados pelos comediantes nos filmes, a carteira de motorista de Larry e até rolos de papel higiênico com a marca “Os Três Patetas”.

“Os Três Patetas” nasceram nos números de teatro, música e comédia da década de 1920, conhecidos como “vaudeville”. A formação mais conhecida dos Três Patetas foi aquela estrelada pelos irmãos Moses Horwitz e Jerome Lester Horwitz, e pelo amigo de infância dos dois, Louis Feinberg — mais conhecidos como Moe, Curly e Larry, respectivamente.

No início, eles atuaram como coadjuvantes do comediante Ted Healy. O primeiro filme do trio, “Soup to Nuts”, foi lançado em 1930. Os Três Patetas eram bombeiros que tentavam escapar do quartel para ir a uma festa.

Com diversas formações, Os Três Patetas continuaram fazendo filmes até 1975, quando Larry morreu. Moe morreu poucos meses depois, aos 77 anos.  Bem antes disso, em 1946, Curly sofreu um derrame do qual nunca se recuperou totalmente. Ele morreu em 1952, aos 48 anos.

Irmão de Moe e Curly, Shemp Howard também participou de “Os Três Patetas”. Ele fez parte da primeira formação do trio, ao lado de Moe e Larry. Depois de uma briga com Ted Healy, ele abandonou o grupo e foi substituído pelo irmão mais novo, Curly. Quando Curly sofreu esse derrame, Shemp voltou a integrar o grupo até 1955, quando morreu, aos 60 anos.

Os comediantes Joe Besser e Joe DeRita (conhecidos como “Curly-Joe”) também fizeram parte do trio. Joe Besser, que substituiu Shemp Howard, morreu em 1º de março de 1988. Curly-Joe, que sucedeu Joe Bresser a partir de 1959, morreu em 1993.

Autor: - Categoria(s): Baú, Cinema, Humor, Televisão, Viagem Tags: , , , , , , , , , , , ,
31/08/2009 - 12:00

Hoje é o Dia do Blog!

Compartilhe: Twitter

Hoje é o Dia do Blog! A data foi criada pelo israelense Nir Ofir e é comemorada desde 2005 por blogueiros com indicações e compartilhamento de blogs interessantes.  Aparentemente, o dia 31 de agosto foi escolhido como data porque o número 3108 lembra a palavra BLOG.

Blog Day 2009

Autor: - Categoria(s): Datas Comemorativas, Sites curiosos Tags: , , ,
30/08/2009 - 17:24

A camisa do centenário do Corinthians

Compartilhe: Twitter

Gostei da nova camisa número 3 do Corinthians. Ela mistura o preto com o roxo e foi anunciada como a camisa comemorativa do centenário corintiano, em 2010. É mais bonita que a toda roxa, embora parte da torcida continue não gostando dessa inovação. Os detalhes em dourado fazem lembrar a camisa usada na Libertadores de 2006. Era uma camisa linda, mas a eliminação traumática para o River Plate aposentou o modelo antes da hora. Só que mais legal que a camisa é o comercial que a Nike fez para seu lançamento. Os comerciais da Nike são mesmo incríveis!

O livro que aparece bem no começo do comercial já foi apresentado aqui: “A História das Camisas dos 12 Maiores Times do Brasil”. Outro detalhe mostra que esse novo modelo pode ter sido pensado no ano passado.  Mas só agora foi utilizado.  Repare que, aos 17 segundos do comercial, o designer aparece circulando o modelo em vermelho.  O patrocinador que aparece naquele momento é a Medial, e não a Batavo.

Em tempo: já que este post deve estar sendo lido por uma maioria corintiana, aqui vai a dica do primeiro livro que trata dos 100 anos do Corinthians. Uma homenagem ao torcedor. “Fiel 100 Anos” já está nas livrarias. A noite de autógrafos será no próximo dia 10/09 na Saraiva do Shopping Anália Franco, em São Paulo.

Autor: - Categoria(s): Esporte, livros Tags: , , , ,
29/08/2009 - 23:53

Eu quero ter 1 milhão de girafas

Compartilhe: Twitter

“A vida é curta, portanto desenhe uma girafa!”

Esse é o lema do site One Million Giraffes, cujo objetivo é coletar 1 milhão de girafas feitas por pessoas do mundo todo. Para participar desse projeto de arte colaborativo, você precisa seguir uma regra básica: é proibido usar o computador na hora de produzir sua girafinha. O idealizador do projeto, Ola Helland, explica:

“As girafas não podem ser desenhadas no computador porque o objetivo desse projeto é deixar um pouco de lado o mundo digital e agir como seres humanos por um tempinho. As pessoas gastam muito tempo na frente de suas TVs e de seus computadores. É hora de criar algo com suas próprias mãos! Algo que você possa sentir, tocar e segurar.”

Girafa desenhada pela Beth, 10 anos, Dorset (Reino Unido)

A ideia surgiu de uma conversa casual entre Ola Helland e um amigo chamado Jørgen. Desafiado, o webdesigner norueguês de 24 anos resolveu usar o mundo virtual para espalhar sua mensagem. No primeiro dia, ele arrecadou 134 girafas; no sétimo, o número já tinha sido dobrado. O One Million Giraffes já recebeu 13.000 desenhos, esculturas e modelos de girafas em apenas um dia. Atualmente, o projeto está em seu 80º dia e já ultrapassou a marca de 190.000 girafas de 86 países diferentes. Ola espera chegar a um milhão até o final do ano.

Girafa desenhada pela Kelly, 22 anos, Unaí (Brasil)

O Brasil não ficou de fora – vários brasileiros arregaçaram as mangas e produziram 83 girafas. Ficou com vontade de participar? É só mandar a girafa para o seguinte endereço:

Ola Giraffe Helland
Jaergata 13
4012 Stavanger
Norway

Lembre-se de escrever seu nome, idade e localidade em uma folha A4, do mesmo lado do desenho. Também é possível mandar o desenho por e-mail ou carrega-lo diretamente para o site.

Você é completamente apaixonado por girafas? Eu sou. Tenho em casa um armário com 100 girafinhas que fui comprando em viagens ou que ganhei de amigos. Quer mais curiosidades sobre as pescoçudas? Que tal ficar hospedado no único “hotel-girafa” do mundo?

Autor: - Categoria(s): Animais Tags: , , , , ,
29/08/2009 - 07:46

As novidades dos 10 anos da Panda Books

Compartilhe: Twitter

A Panda Books completa 10 anos no próximo dia 23 de setembro. Para comemorar, apresentamos duas grandes novidades. A primeira é que estamos agora no Twitter: www.twitter.com/pandabooks. Você pode acompanhar todos os lançamentos, as promoções e as novidades. Siga-nos! A segunda é a estreia de um canal de TV virtual. O leitor poderá assistir a entrevistas com autores e trailers dos principais lançamentos. Vários já estão no ar. Veja um deles agora:

 

Autor: - Categoria(s): livros, Sites curiosos Tags: , , ,
28/08/2009 - 13:54

Times de futebol com nome de gente — parte 2

Compartilhe: Twitter

O post sobre times de futebol com nome de gente rendeu muitos comentários. Por isso, resolvi voltar ao assunto, com outros nomes. A diferença é que, dessa vez, a maioria dos times é brasileira.

Para começar, o Clube de Regatas Vasco da Gama, que leva o nome do descobridor português do século XVI. Ele foi homenageado porque em 1898, ano de fundação do clube, a descoberta do caminho marítimo para a Índia, feita por ele, completava 400 anos. Na foto abaixo, você pode ver Geovani e Zico, maior ídolo do Flamengo, usando a camisa do Vasco. Foi no jogo contra o La Coruña, da Espanha, em 24 de março de 1993, na despedida dos campos de Roberto Dinamite.

Os imigrantes portugueses que moram no Rio de Janeiro sempre ajudaram o Vasco. Uma boa história está no livro “Bola Fora“, de Paulo Vinícius Coelho, o PVC da ESPN-Brasil. Segundo ele, na década de 1920, jogadores pobres do Vasco recebiam salários como se fossem funcionários dos armazéns de portugueses. Assim poderiam treinar durante o dia, em vez de trabalhar. Isso fazia com que o time jogasse melhor que a maioria — já que treinar, naquela época, não era um hábito entre os clubes de futebol.

O Clube Náutico Marcílio Dias, fundado na cidade de Itajaí (SC), em 17 de março de 1919, também homenageia uma pessoa. Como muitos outros clubes de futebol, o Marcílio Dias começou disputando apenas provas de remo. Por isso, nada mais propício que pegar emprestado o nome de um marinheiro. O gaúcho Marcílio Dias morreu na Batalha do Riachuelo, durante a Guerra do Paraguai. O Marcílio Dias manda os seus jogos no estádio Hercílio Luz.

Aliás, o ex-governador de Santa Catarina Hercílio Luz também foi homenageado por um time de futebol, o Hercílio Luz Futebol Clube, de Tubarão. Fundado em 22 de dezembro de 1918, o “Leão do Sul” ficou 15 anos sem um time de futebol profissional, de 1993 a 2008, quando voltou aos campos. Esse ano, a equipe está disputando a segunda divisão do campeonato catarinense, que termina em novembro. É líder do returno, com 10 pontos.

Foi de Nova York que saiu o hidroavião Sampaio Corrêa II (foto), em novembro de 1922. Exatos 5.678 quilômetros depois, ele fez seu pouso final no Rio de Janeiro, em fevereiro do ano seguinte. Os pilotos eram o brasileiro Pinto Martins e o americano Walter Hinton. No meio do caminho, passou pela cidade de São Luís (MA), no dia 12 de dezembro de 1922, onde acabou por batizar um time de futebol. A Associação Sampaio Corrêa Futebol Clube foi criada em 25 de março de 1923. O avião tinha sido doado pelo senador carioca José Mattoso de Sampaio Corrêa, presidente do Aeroclube Brasileiro, que recebeu a homenagem.

Assim como o Perilima do primeiro post, a Sociedade Esportiva Matsubara, de Cambará (PR), teve o nome inspirado no presidente do clube. Em 18 de dezembro de 1975, Sueo Matsubara, imigrante japonês, fundou o clube com seu sobrenome. A avenida em frente ao estádio regional de Cambará, onde o time manda seus jogos, também leva o nome de um Matsubara, Tsuneto.

No primeiro dia do ano de 1910, na casa de Nicolás Marin Moreno, surgiu o Club Atlético Argentinos de Vélez Sarsfield — que, três anos depois, seria abreviado para Club Atlético Vélez Sarsfield. O homenageado foi o advogado e político argentino Dalmacio Vélez Sarsfield, que escreveu o código civil argentino em 1869. Uma das marcas registradas do Vélez é o grande “V” que tem no uniforme. A maior conquista do time foi a Taça Intercontinental de 1994, em cima do Milan. Para tanto, os argentinos impediram o São Paulo de ser tri da Libertadores.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , ,
27/08/2009 - 16:16

Você sabe o que aconteceu com o Jordy?

Compartilhe: Twitter

Jordy foi salvo pelo rock n’ roll. Sim, aquele menininho de cabelos espetados, olhos azuis e trocando de dentes agora pinta os olhos de preto, bebe cerveja direto da garrafa e não tem medo de afirmar que gosta de “experimentar posições do Kama Sutra”. Nada parecido com a criança que fazia as pistas de 1992 ferverem com o hit “Dur dur d’être bébé”:

Como todo rebelde sem causa que se preze, Jordy Lemoine teve uma família turbulenta. Depois do sucesso do filho, os pais – Claude Lemoine e Patricia Clerget, ele produtor musical e ela cantora – criaram uma espécie de parque de diversões chamado “La Ferme de Jordy” e foram acusados pelo governo francês de exploração de menor. Na época, em 1994, Jordy foi proibido de aparecer na televisão e suas canções sumiram das emissoras de rádio. Dois anos depois, Claude Lemoine e Patricia Clerget se divorciaram e Jordy começou uma precoce jornada rumo ao ostracismo.

Jordy Lemoine nasceu em 14 de janeiro de 1988 na cidade francesa de Saint-Germain-en-Laye. “Pochette surprise”, seu disco de estréia, vendeu milhões de cópias no mundo todo. O disco era alavancado pela música “Dur dur d’être bébé” (“É duro ser um bebê”). Ele foi o mais jovem artista a atingir o topo das paradas. No auge, Jordy até mesmo passou pelo Brasil, em programas como o de Hebe Camargo. Em 2005, aos 18 anos, ele reapareceu no reality-show “Celebrity Farm 2”, uma espécie de “A Fazenda” francesa.

Em 2006, a ex-criança prodígio lançou a autobiografia “Je ne suis plus un bébé” (“Eu não sou mais um bebê”), escrita em conjunto com sua mãe.

Ostentando um visual à lá Sid Vicious, Jordy lançou o álbum “Vint’Age” com sua banda “JOrDy and the Dixies”. A julgar pelo nome do selo pelo qual o disco foi lançado (“DurDurProd”),  algumas coisas realmente nunca mudam.

Autor: - Categoria(s): Baú, Celebridades, Música Tags: , , , , , , , ,
25/08/2009 - 22:48

Deitado eternamente ao lado de Marilyn Monroe

Compartilhe: Twitter

Deitar-se eternamente ao lado de Marilyn Monroe custa 4,6 milhões de dólares (cerca de 9 milhões de reais). Esse foi o preço pago possivelmente por um fã da atriz, morta em 1962. Com lance inicial de 500 mil dólares, o túmulo localizado acima do de Marylin Monroe foi arrematado por alguém identificado apenas como “O***S”.

O túmulo foi anunciado no site de leilão eBay com uma proposta irrecusável: “Passe a eternidade diretamente acima de Marilyn Monroe“. A loira foi enterrada no cemitério de Los Angeles, o Westwood Village Memorial Park.

O criador da revista Playboy – para a qual Marilyn posou na primeira edição -, Hugh Hefner, também possui um jazigo ao lado da atriz. O jogador de beisebol e ex-marido de Marilyn Monroe, Joe DiMaggio, a amava tanto que depositou uma dúzia de rosas no túmulo da atriz, três vezes por semana, durante 20 anos. Pouco antes de morrer, DiMaggio teria dito: “Finalmente verei Marilyn!”. Entretanto, o jogador foi enterrado em outro cemitério, no estado da Califórnia.

Descubra aqui como viveram, como morreram e o endereço permanente de Al Capone, Jack Kerouc e outras 240 personalidades.

Autor: - Categoria(s): Celebridades Tags: , , , , , ,
24/08/2009 - 21:37

Os bigodudos que dão muito o que falar

Compartilhe: Twitter

Uma pesquisa realizada recentemente elegeu o músico Freddie Mercury a celebridade com “melhor bigode da Grã-Bretanha de todos os tempos”.  Além do título de bigodudo, o vocalista do Queen já  foi eleito pela revista Rolling Stone como um  dos 100 melhores cantores de todos os tempos. Freddie Mercury morreu em 1991, aos 45 anos, por complicações decorrentes da AIDS.

A mesma pesquisa cita Charlie Chaplin (foto à esquerda), o Carlitos, como dono de um respeitável bigode. O ator e cineasta criticou o líder nazista Adolf Hitler no filme “O Grande Ditador”. Apesar das diferenças ideológicas, Chaplin e Hitler compartilhavam o mesmo bigodinho. Aliás, o estilo fazia sucesso entre as personalidades políticas da época: os líderes soviéticos Josef Stálin (foto à direita) e Vladimir Lenin também cultivavam seus bigodinhos.

Dirigido por Quentin Tarantino, o filme “Bastardos Inglórios” se passa durante a Segunda Guerra Mundial e apresenta o ator Brad Pitt – de bigode – como um amalucado caçador de nazistas. O marido de Angelina Jolie apareceu na capa da Rolling Stone com o visual novo – que ele garante ter sido aprovado pela mulher.

Bigodes eram comuns em astros de Hollywood ao longo das décadas de 1940 e 1950.  Só no clássico “E o Vento Levou…”(1939) foram usados 700 bigodes postiços ao longo dos 2 anos e7 dias de filmagens. Clark Gable, galã do filme, tinha bigode de verdade.

Aqui no Brasil, o bigode do personagem Gopal (André Gonçalves), da novela “Caminho das Índias”, tem dado o que falar. Muitas crianças param o ator na rua para verificar se o bigode é verdadeiro. É.

Outro bigode que tem dado o que falar (não vou falar o que) é o do José Sarney. Existe até mesmo um site dedicado a organizar a “greve do bigode”, uma forma bem-humorada de protesto contra o atual presidente do Senado. O blog, cujo lema é “Greve de Bigode – só tiro o meu quando o Senado tirar o dele”, conclama os internautas a tirar e postar fotos suas com seus respectivos bigodes, bigodinhos e bigodões…

Ah, claro… Tem também um outro bigodudo no Senado. Se ele disser que vai tirar o bigode de “forma irrevogável”, não acredite!

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Cotidiano, Jornalismo Tags: , , , , , , , , , , , ,
23/08/2009 - 13:01

A pior cena de luta de todos os tempos

Compartilhe: Twitter

O site Today’s Big Thing classificou a cena abaixo como “a pior cena de luta de todos os tempos”. Realmente, o duelo mortal dos atores do filme “Undefeatable” (1993) é bastante sofrível. O filme, cujo nome original é “Cui hua kuang mo”, foi dirigido pelo chinês Godfrey Ho, produzido em Hong Kong e lançado nos Estados Unidos direto em VHS.

Autor: - Categoria(s): Bizarro, Cinema, Humor Tags: , , ,
Voltar ao topo