Publicidade

Publicidade
23/02/2009 - 01:54

As chatices da entrega do Oscar

Compartilhe: Twitter

Estou escrevendo agora para provar que fiquei assistindo à cerimônia do Oscar na TNT até o final. Bem, preciso confessar que pensei em desistir várias vezes. Que chatice! Nada contra a cerimônia em si, que até gostei. Por exemplo: a homenagem aos musicais, com Beyoncé, Hugh Jackman, Zac Efron e Vanessa Hudgens, foi bem bacana – e já estava postada no You Tube menos de uma hora depois (com uma qualidade ruim, é verdade)

Também me emocionei com Jerry Lewis, um dos meus comediantes preferidos, e com o prêmio póstumo a Heath Ledger.  A apresentação dos prêmios de roteiro original e roteiro adaptado foi bastante criativa (Steve Martin, divertidíssimo!).  As apresentações dos prêmios para ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante feitas por cinco consagrados atores foram bem tocantes. Uma ideia que deve ser repetida.

Então, por que, eu escrevi que a cerimônia foi uma chatice? A quantidade de intervalos comerciais foi um abuso. Comecei a ficar com ódio (sim, esta é a palavra) dos comerciais da Volkswagen e da Havaianas. Será que o sujeito da agência não pensa que o mesmo comercial repetido 500 vezes irrita qualquer um? A partir da meia noite, nos intervalos, trocava de canal. Até os bastidores do Carnaval na Bahia, apresentados pela Carla Perez, eram melhores do que aquela tortura.

Os discursos de agradecimento deveriam mesmo ser mais curtos. Por que todos precisam agradecer a Academia? Isso já economizaria uns 15 minutos das três horas e meia (tempo suficiente para ver dois longas…) Ah, a tradução simultânea parece ser um problema insolúvel. Resolvi apertar a tecla SAP. Afinal, os trocadilhos que eu não entendia, os apresentadores também não entendiam. Então, dava na mesma.

Autor: - Categoria(s): Celebridades, Cinema Tags: , , , , , , ,

Ver todas as notas

4 comentários para “As chatices da entrega do Oscar”

  1. Antonio Mier disse:

    …eu troquei o batuque pela cerimônia do Oscar…nos aspecto geral, também gostei, mas os comerciais repetidos a cada intervalo, irritaram bastante. Cheguei até a arremessar minhas havainas pela janela de tanta raiva…ainda bem que eu não tenho nenhum carro da volks.
    Com tantos intervalos seguidos e repetidos, já sei porque o canal se chama TNT…é uma verdadeira BOMBA !!!

    Comentário de MARCELO DUARTE: Mier, vamos fazer justiça com a TNT. Os intervalos eram determinados pelo evento, uma das maiores audiência da TV nos Estados Unidos. A disputa lá pelos intervalos comerciais deve ser enorme. Explica-se assim a quantidade de paradas. Aqui virou uma tortura!

  2. Carolina disse:

    eu estava assistindo com o controle remoto na mão. Graças aos intervalos consegui ver 80% de um documentário.. hahaha Só com bom humor mesmo..
    “Imagina aquela formosura na minha humilde residência”..

  3. Mary West disse:

    Realmente caro amigo tenho que concordar. Eu ficava mudando para o Telecine Cult que tava passando um filme do Michael Moore, akelas propagandas estavam afetando meus nervos. Fikei chocada com a falta de legendas, achava que a reprise acompanhava as mesmas. Acho que soh no SBT mesmo. Saudades disso.

  4. ana maria disse:

    realmente, as propagandas encheram o saco, pior que as mesmas. concordo com vc adoro jerry lewis, achei a homenagem justa mais curta demais.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo